As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

João acaba de nascer. E agora, João?

Cley Scholz

31 de julho de 2013 | 00h01

A Basf acaba de por no ar uma campanha para valorizar o trabalho dos agricultores. O projeto nasceu de uma pesquisa recente que mostrou o grande desconhecimento dos brasileiros sobre a atividade agrícola.

Mais de 40% dos entrevistados nas 12 principais cidades brasileiras não compreendem o significado do termo agronegócio. E 25% deles acham que a profissão de agricultor é pouco importante ou totalmente desimportante para a sociedade.

O vídeo ‘Agricultura: o maior trabalho da Terra’, destaca a importância da atividade por meio da historia de uma criança comum, um menino chamado João.

Desde o nascimento até a vida adulta, a sua vida está ligada ao campo, mesmo vivendo em um grande centro. João e outras sete bilhões de pessoas do planeta não vivem sem o agronegócio.

A atenção da Basf para o setor tem razão de ser. O último balanço mundial da companhia, referente ao segundo trimestre de 2013, mostra que a área de soluções para o agronegócio cresceu 18% em relação ao mesmo período do ano passado, enquanto o faturamento total da empresa cresceu 3%.

A gigante alemã já havia feito outra campanha sobre o tema em 2009, com um filme chamado ‘Um Planeta Faminto’. O foco era a demanda por alimentos no mundo e a contribuição do produtor rural brasileiro.

O sucesso foi grande e o filme teve uma continuação, ‘Um Planeta faminto II’, sobre a importância estratégica da agricultura por alimentos e também por energia, vestuário e biocombustível.

Toda a campanha sobre o tema é parte da estratégia da Unidade de Proteção de Cultivos na América do Sul, que já patrocinou a Escola de Samba Unidos de Vila Isabel, vencedora do desfile do grupo especial das Escolas de Samba do carnaval do Rio de Janeiro em 2013.

carnaval2013

A exuberância da agricultura brasileira homenageada pela Basf  na Marquês de Sapucaí, no Rio, em 2013 (Foto:Patrícia Santos/Riotur)

O vice-presidente da Unidade de Proteção de Cultivos da Basf para o Brasil, Maurício Russomanno, cita que a Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) prevê crescimento de 20% na demanda mundial por alimentos nos próximos dez anos.

“O Brasil atenderá cerca de 40% desta demanda”, afirma ele. A campanha é um incentivo ao trabalho do agricultor brasileiro, que pode ajudar a alimentar o mundo de forma sustentável, segundo a empresa.

Tudo o que sabemos sobre:

agronegócioBasf

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.