As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Comercial ‘sexista’ de Pamela Anderson é proibido

Cley Scholz

09 de junho de 2013 | 23h04

A carreira da atriz Pamela Anderson como símbolo sexual continua em alta, e chamando a atenção. Um comercial estrelado pela atriz de 45 anos foi proibido na Inglaterra por ser considerado ‘sexista e degradante para as mulheres’.

Autoridades do país vetaram o comercial após quatro queixas contra as cenas em que atriz aparece em trajes sumários ensopada com creme de leite com outra mulher nas fantasias sexuais de um executivo de um escritório durante uma reunião de trabalho cheia de homens.

Mas, se o anúncio foi proibido na televisão aberta, isso contribuiu para que ele fizesse sucesso na internet. O anúncio é do site Crazy Domains. A empresa Dreamscape Networks, dona do site, disse que não considerou o anúncio pornográfico.

Esta não foi a primeira vez em que a atriz  provoca polêmica em um comercial para a TV. Há quatro anos, um filme patrocinado por uma ONG que defende a proteção dos animais foi considerado ousado demais para ser exibido nos Estados Unidos.

O anúncio da ONG Peta mostrava a atriz como uma controladora de raio-X de aeroporto que despe os passageiros que tentam embarcar com roupas feitas com peles de animais.

A propaganda seria veiculada nos aeroportos de Nova York, mas a rede CNN, que administra monitores de TV com publicidade nos aeroportos, proibiu a veiculação do comercial alegando que ele é inapropriado para crianças.

Na época, Pamela  lamentou a decisão. “Eles disseram que a propaganda era muito ousada. Acho que é porque é possível ver o traseiro de alguém. Não o meu traseiro; se fosse isso não haveria problema. Mas era o traseiro de outra pessoa”, disse.

Tudo o que sabemos sobre:

AndersonInglaterraPamela

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.