Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Quando alimentação saudável vira obra de arte

Economia & Negócios

23 de novembro de 2015 | 11h03

Por Marina Gazzoni

Uma pesquisa internacional mostrou que as consequências da má alimentação podem fazer com que, pela primeira vez na história, haja uma regressão na expectativa de vida da população de uma geração para outra. A partir desse diagnóstico, a plataforma de inovação social Novos Urbanos montou uma campanha voltada para a conscientização dos pais brasileiros sobre o papel fundamental da boa alimentação na qualidade de vida de seus filhos.

A entidade se associou ao artista plástico Vik Muniz para criar um alfabeto feito de frutas e verduras. O objetivo é incentivar o diálogo entre pais e filhos sobre o consumo de alimentos saudáveis. A ideia é que tanto pais quanto as escolas usem o alfabeto – que estará disponível no site fontedajuventude.info – para conversar com as crianças sobre a importância do consumo de vegetais.

A campanha, que foi filmada em uma escola do Morro do Vidigal, no Rio de Janeiro, mostra Vik Muniz ajudando as crianças a criar um alfabeto artístico com a junção de frutas e verduras associadas a cada uma das letras. Ou seja: a letra ‘B’ do alfabeto, por exemplo, traz vegetais como beterraba, berinjela e banana.

O vídeo, dirigido pelo cineasta Estevão Ciavatta, membro do conselho da Novos Urbanos, estará inicialmente disponível somente na internet. O elenco de crianças que aparece no vídeo montando o alfabeto natural com Vik Muniz foi selecionado no próprio Vidigal e reforçado por filhos da equipe de produção.

O alfabeto, que por enquanto existe somente no mundo virtual, poderá virar uma instalação física no futuro, para reforçar a importância da mensagem. A Novos Urbanos também pretende angariar fundos para levar a discussão para escolas ao redor do Brasil.

Diversificação. “O objetivo do site é dar dicas práticas para que pais e educadores possam ter mais recursos criativos na diversificação e inclusão de alimentos (na dieta das crianças), especialmente frutas, legumes e verduras”, explica Denise Chaer, diretora da Novos Urbanos.

A campanha, segundo Denise, não tenta encontrar culpados para o problema da obesidade infantil, mas sim focar na busca de solução. “Não queremos responsabilizar os pais, pois acreditamos que vivemos num ambiente alimentar doente, que está levando a obesidade infantil a ser considerada uma epidemia de saúde pública.”

Tudo o que sabemos sobre:

alimentaçãoNovos UrbanosVik Muniz

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: