As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Spice Girls levam metas da ONU a 53 milhões de pessoas

Economia & Negócios

11 Julho 2016 | 05h00

A campanha que teve o maior poder “viral” na internet na última semana usou uma música pop das Spice Girls que acaba de completar 20 anos. Wannabe, um dos primeiros sucessos do grupo britânico, foi reutilizada para promover a igualdade entre os gêneros, uma das metas do milênio da Organização das Nações Unidas (ONU).

Com ajuda do poder de mobilização das redes sociais – Victoria Beckham, que participou do grupo e hoje é estilista e mulher do jogador de futebol David Beckham, compartilhou o vídeo em sua página no Facebook –, o clipe estrelado por meninas que representam mulheres de todas as partes do mundo chegou, ontem, a mais de 53 milhões de visualizações.

Com a hashtag “What I Really Really Want” (“o que eu realmente quero”, uma das linhas mais repetidas da canção), foram promovidas metas como o fim da violência contra a mulher, o acesso à educação por meninas de todo o mundo, o fim do casamento infantil e o pagamento igualitário para trabalhos que exijam a mesma qualificação.

Metas. De acordo com a ONU, esses temas são vistos como prioritários no que se refere à igualdade de gêneros porque cerca de 31 milhões de meninas em idade para o ensino primário estão fora da escola. Somente em três países, há mais de 1 milhão de meninas sem acesso à educação: são 5,5 milhões na Nigéria, mais de 3 milhões no Paquistão e mais de 1 milhão na Etiópia.

No caso da equiparação de salários, o cálculo é de que as mulheres recebam, na maioria dos países, entre 60% e 75% do que os homens ganham para o mesmo tipo de serviço. Dados mostram que a educação é essencial para o acesso de mulheres a empregos. No Brasil, só 37% das mulheres que não completaram o ensino básico têm acesso a trabalho. O índice chega a 50% entre as que completaram o ensino fundamental.

Mais conteúdo sobre:

igualdade de gênerosONUSpice Girls