Aos mestres com carinho
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Aos mestres com carinho

'É inquestionável que o fator primordial para o sucesso da educação acontece na sala de aula, e daí o papel do professor é inestimável!'

blogs

14 de outubro de 2018 | 12h03

Foto: Unsplash

Por Marisa Eboli*

Os especialistas em educação apontam, entre tantos outros responsáveis pela educação, o governo e os pais, mas é inquestionável que o fator primordial para o sucesso acontece na sala de aula, e daí o papel do professor é inestimável!

Os resultados do Brasil no Programme for International Student Assessment – Pisa, edição de 2015, mostraram uma queda de pontuação nas três áreas avaliadas: ciências, leitura e matemática. A redução na pontuação mostrou também uma posição menor do Brasil no ranking mundial: o País ficou na 63ª colocação em ciências, na 59ª em leitura e na 66ª em matemática.

A prova, coordenada pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), foi aplicada em 70 países. Ela é realizada a cada três anos e oferece um perfil básico de conhecimentos e habilidades dos estudantes, a partir de amostra definida pela idade (15 anos).

Especialistas ouvidos à época da publicação dos resultados do Pisa 2015 afirmaram que não havia motivos para comemorar os resultados do País, e que, além de investir dinheiro na educação de uma forma mais inteligente, uma das prioridades deveria ser a formação e a valorização do professor. “Parte da solução passa também por superar a baixa atratividade dos jovens brasileiros pela carreira do magistério, ao contrário do que ocorre nos países que estão no topo do ranking mundial do Pisa. Nesses países, ser professor é sinônimo de prestígio social”, declarou Mozart Neves Ramos, diretor de Articulação e Inovação do Instituto Ayrton Senna. Os resultados do Pisa 2018 serão divulgados em 2019.

Pensando nos professores, que comemoram seu dia em 15 de outubro, resolvi dedicar esta coluna em sua homenagem.

Decidi fazer uma rápida pesquisa, solicitando a alguns amigos, hoje todos bem sucedidos em suas carreiras, mas originários de diferentes classes econômicas e sociais, que indicassem: 1) o nome de um professor que foi inesquecível pelas características e impactos positivos que gerou na sua vida; 2) quais as duas características principais desse professor; e 3) em qual estágio da vida estudantil ele atuou.

Obtive 20 respostas, e o perfil geral dos respondentes pode ser assim sintetizado: 15 homens e cinco mulheres; nove executivos (aproximadamente quatro atuam ou atuaram como  CEOs de empresas; três são diretores de RH e dois em demais funções executivas); oito são educadores (professores universitários ou especialistas em educação); dois são jornalistas ou especialistas em comunicação;  e um atua na área médica.

Um aspecto que chamou minha atenção foi o fato de que 13 dos 20 respondentes (65%) mencionaram que o professor inesquecível foi do ensino fundamental ou do ensino médio; um apontou que o mestre inesquecível foi de cursinho; três citaram professores da faculdade; e três indicaram professores dos cursos de mestrado ou doutorado.

Dentre os que apontaram docentes do ensino fundamental ou médio como inesquecíveis, destacaram-se os de matemática e língua portuguesa.

Algumas citações:
“Tinha amor pelo trabalho de ensinar a língua portuguesa: paixão pelos livros, admiração pelos escritores, orgulho pela língua do País”.
– “Sabia, como poucos, motivar para o estudo da nossa língua. Tarefa difícil numa classe cuja maioria era composta por alunos que seguiriam carreira na área de exatas”.
– “Estimulava leitura, ajudava a estudar analisando letras de músicas”.

Ainda de acordo com especialistas em Educação, o grande diferenciador de um Sistema Formal de Educação está justamente  no Ensino Fundamental, pois ele é que deveria instrumentalizar a criança e o jovem para a aprendizagem permanente; ou seja, é preciso que tenham desenvolvido a capacidade de aprender a aprender para o resto de suas vidas, e isso é impossível sem o domínio da linguagem e das ferramentas de cálculo.

De acordo com as respostas, foi possível classificá-las em três grandes blocos temáticos: aspectos cognitivos, inspiracionais/transmissão de valores e didática. Ou seja, em que medida os grandes professores foram excelentes na forma de transmitir os conhecimentos aos seus alunos, ou era outra coisa, como o poder intrínseco da mensagem ou a modelagem de comportamento?

Interessante que, com relação às práticas didáticas, destacaram-se as seguintes manifestações:
– “Tinha altas expectativas em relação a todos os alunos e deu um curso extremamente dinâmico e engajador”.
– “Sabia fazer-nos sentir confiantes nas nossas habilidades e conhecimentos”.
– “Fez-nos trabalhar muito e todos gostavam dele.”
– “Exigente, rigorosa, bem-humorada”.
– “Organização e metodologia”.
– “Disciplina de raciocínio, exigente e bem-humorado”.
– “Aprendizado por meio de experiências”.
– “Pragmatismo”.

Claramente as altas expectativas em relação aos alunos, rigor, disciplina, organização e exigência são bem-vindos, além de pragmatismo e valorização da experiência dos estudantes.

Referente à transmissão de valores, os professores mencionados foram muito inspiradores. Vejamos algumas menções:
– “Tinha forte senso de propósito e ética”.
– “Ensinava valores como ninguém. Até hoje carrego comigo muitos destes acerca de respeito, justiça, disciplina, cidadania, ordem, organização e o que é certo e errado, completando os ensinamentos passados por meus pais.”
– “As aulas dele faziam com que os alunos, jovens de 15 anos como eu, pensassem, desenvolvessem o espírito crítico com debates de ideias e leitura de livros interessantes.”
– “Não se restringia, porém, ao ensino de sua matéria, porque também, como poucos, sabia despertar em seus alunos o senso de justiça, igualdade, lealdade, cidadania… Um verdadeiro mestre.”

Educadores inesquecíveis são competentes no que ensinam e também demonstram interesse pessoal de proximidade na orientação e no desenvolvimento de seus jovens em formação, ajudando-os a ampliar seu pensamento, compartilhando seus conhecimentos, suas experiências, seus valores e sua sabedoria.

Parabéns a esses professores − Aluísio Vieira, Amil, Antonio Gianella, Carlos Ferraz, Daniel Cohen, Eduardo Brandão, Fiorano, Giselda Bortoletto, Irmã Maria Rita Perillier, Itagiba, James Wright, Lucia, Maria Teresa Pucci, Nicolas Georgescu-Roegen, Paulo Corrêa Lima, Pierluigi Piazzi, Sensei Roberto Machusso, Tereza, Victor Chakur e Tia Zorilda − por terem sido brilhantes e marcantes na vida desses meus amigos. Tenham certeza de que seus alunos os valorizaram muito!

Tomara um dia essa profissão tão importante para o futuro do nosso País obtenha o reconhecimento merecido de toda a sociedade!

*Especialista em educação corporativa, é professora de graduação e mestrado profissional da Faculdade FIA de Administração de Negócios

Mais conteúdo sobre:

ensinoprofessormestreeducação