As empresas dos sonhos dos jovens – uma nova pesquisa

O estudo está na 13ª edição, no Brasil, sendo que outros países também são objetos da mesma pesquisa, em edições variadas

Claudio Marques

27 de agosto de 2014 | 10h00

Por Elisabete Adami Pereira dos Santos – Professora da PUC 

Havia dado por encerrado o enfoque nas pesquisas da Universum Global, cujos pontos principais, notadamente os relacionados às características das empresas e a relação desses traços com o que os jovens privilegiam em suas carreiras, foram tratados nos meus três últimos textos. Mas nos últimos dias de julho foram publicados os resultados da Pesquisa Empresa dos Sonhos dos Jovens, realizada pela Cia de Talentos e Nextview People (http://www.ciadetalentos.com.br/esj/).

O estudo está na 13ª edição, no Brasil, sendo que outros países também são objetos da mesma pesquisa, em edições variadas. Para o Brasil,enfocou quase 52.000 estudantes e recém-formados, com idades entre 17 e 26 anos, sendo que 37% da amostra representa alunos que se formarão em 2014/2015 e 55% de todos já estão no mercado de trabalho.

Alguns dados são bem relevantes. Entre 2012 e 2014, o número de jovens que deseja trabalhar em uma empresa específica, que neste ano, mais uma vez, teve como resultado o Google, está diminuindo de forma considerável: em 2012 representava 77% e o porcentual caiu para 58% em 2014. A contrapartida desse dado é o resultado impressionante que demonstra que a “empresa do sonho do jovem” pode ser a sua própria empresa. Ou seja, “empreendedorismo” está cada vez mais arraigado, mesmo que seja uma representação idealizada, como muitos de nós desconfiamos.

Outro dado interessante, é quando apontam a liderança ideal por intermédio da indicação de um líder real. Entre líderes brasileiros ganha cada vez mais importância, e fica em 1º lugar nesta edição, Jorge Paulo Lemann e, não há nenhum político entre os dez primeiros colocados, demonstrando a falência e a má visibilidade de nossas lideranças nesse campo.

Contrapõe-se, no entanto, à escolha do líder mundial, que é exatamente um político, o principal escolhido, Barak Obama.
Um dos dados essenciais, resultado da pesquisa, diz respeito ao que envolve a “carreira dos sonhos” do jovem brasileiro.

Ou seja, sinais de carreiras que estariam envolvidas com sua própria realização pessoal. E, também nessa pesquisa, como nas outras relatadas em artigos anteriores, está a crença dos jovens na possibilidade de expressar valores, interesses e características pessoais no trabalho. O que pode explicar, também, a escolha do sonho de ter a própria empresa para poder expressar suas demandas. Por ordem de importância, assinalam pontos associados à realização profissional: estabilidade e independência, negócio próprio, fazer pós-graduação, exercer cargo de liderança e fazer a diferença, envolvendo aqui aspectos como responsabilidade social e sustentabilidade.

Para quem ainda está descrente com as escolhas e os rumos de nossos jovens os dados demonstram o inverso.

Envie sua questão sobre carreira ou profissão para empregos.estado@estadao.com

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.