Candidato a emprego que mente acaba em saia justa

Claudio Marques

25 de outubro de 2011 | 13h47

A expressão “mentira tem pernas curtas” vale para tudo na vida e não é diferente quando o assunto é currículo. A omissão de algum dado ou mesmo o exagero na hora de descrever as habilidades podem colocar o candidato à vaga numa saia justa. “O currículo é uma promessa”, diz o vice-presidente da Associação Brasileira de Recursos Humanos de São Paulo, Almiro dos Reis Neto. Segundo ele, a pessoa que mente no currículo provavelmente está imaginando que vai conseguir se esconder ou fazer disso um trampolim para uma próxima busca, mas essa é uma péssima prática porque o empregador vai descobrir. O consultor da GSC Consulting Desenvolvimento e Capacitação Gilberto do Santos afirma que a pessoa que mente no currículo com certeza vai cair em contradição na entrevista e passará por constrangimento. Para ele, a credibilidade é a base de tudo.
O projeto de lei 6561/09 do deputado Carlos Bezerra (PMDB/MT), que tramita na Câmara, prevê punição para quem mentir no currículo.

As mais comuns

Idioma –Informar que tem inglês fluente, mas possui nível básico

Cursos — Dizer que é formado em cursos que não foram concluídos

Habilidades — Citar facilidade para trabalhar em equipe ou sob pressão

 

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: