‘Carreiras também dependem do mapa do emprego’

‘Carreiras também dependem do mapa do emprego’

Claudio Marques

11 de março de 2014 | 07h13

Por Leonardo Trevisan*

O lugar, a cidade, conta na busca por bom emprego? Muita gente dirá que depende da forma como entendemos a ideia de emprego. Se a pessoa vê sua carreira olhando apenas a organização em que trabalha da porta para dentro, o lugar e seu entorno influenciam menos.

Porém, se a pessoa entende que emprego tem muitas conexões, gera sempre expectativas novas e tem mudanças constantes impostas pelo mercado, o lugar em que a organização está, ou a cidade escolhida para “fazer carreira”, no sentido de oferta de evolução pessoal, importa sim. E muito.

Neste caso, algumas balizas, algumas referências funcionam como dicas bem relevantes. Existe uma espécie de “mapa do emprego”, que se altera bastante, obedecendo as mudanças da economia, ou o desempenho, melhor ou pior, de certos setores de atividade.

Em fevereiro, o Boletim Regional do Banco Central divulgou o mais recente “mapa” e mostrou quais foram os dez municípios que em 2013 mais abriram postos de trabalho no Brasil. E em quais setores.

Estes dez municípios geraram 25% das vagas abertas no ano passado. O curioso é que esta lista é bem diferente do “mapa” de 2012. Por exemplo, Manaus e Guarulhos não estavam no ranking de 2012. Mas, no ano passado foram respectivamente, a 3a. e a 7a. cidade que mais geraram trabalho.

Manaus gerou três vezes mais postos de trabalho no ano passado do que em 2012 e em todos os setores de atividade. A indústria eletroeletrônica foi a campeã e “puxou” os outros setores. Quem quer fazer carreira na área eletroeletrônica precisa observar isto. Guarulhos tomou outro rumo: a oferta do setor de serviços disparou, aumento de 40% neste segmento entre 2012 e 2013. Motivo: o setor de logística puxou as contratações, em todos os níveis, não só pela ampliação do aeroporto, mas também porque a cidade está bem situada no caminho entre Rio e SP.

Vale notar também quem saiu da lista, Belo Horizonte por exemplo, devido a certo esfriamento na construção civil na cidade, entre outras razões. Ou seja, é importante também ver o “mapa” do outro lado, os municípios que menos geraram trabalho. O “mapa do emprego” do BC não é segredo, está no endereço: http://www.bcb.gov.br/pec/boletimregional/port/ 2014/01/br201401b3p.pdf

 * Professor da PUC

Tudo o que sabemos sobre:

Banco CentralCarreiraMapa do emprego

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: