Diversidade é tema que deve ser cuidado na empresa além dos Recursos Humanos
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Diversidade é tema que deve ser cuidado na empresa além dos Recursos Humanos

Diversidade e inclusão é sobre formar equipes mais criativas, criar valor para a marca e, acima de tudo, sobre o ser humano, diz especialista em artigo

Fabiana Cardoso Marcellino de Jesus

10 de junho de 2019 | 11h28

A discussão sobre o tema diversidade e inclusão nas empresas tem sido mais abrangente do que o avanço no cumprimento das questões legais, e se estendendo para o impacto na inovação e no sucesso dos negócios. Esse despertar é importante para que possamos construir uma força de trabalho com oportunidades igualitárias na qual todos os colaboradores possam atingir seus potenciais de forma plena, refletindo assim a realidade da sociedade e, consequentemente, dos nossos clientes.

De acordo com um estudo recente do Gartner sobre tendências e prioridades para líderes de Recursos Humanos em 2019, o tópico diversidade e inclusão aparece entre as 10 principais iniciativas e está correlacionada à primeira, à terceira e à quarta listadas, que são construção de habilidades e competências críticas para a organização, experiência do funcionário, e desenho de organizações & gerenciamento de mudanças.

Ainda que não selecionada, eu arriscaria dizer que outro importante ponto para líderes de RH é o banco de dados de candidatos às atuais e futuras posições de liderança. É necessário garantirmos que haja equidade no grupo, afinal, quanto maior o envolvimento e a participação de líderes nessas discussões, mais eles se responsabilizam e nos ajudam a influenciar todo o ecossistema.

É necessário que líderes estejam cientes da representatividade de funcionários em grupos de diversidade. Foto: Pixabay

Acredito que é fundamental o mapeamento e o conhecimento da situação real nas empresas para que a liderança seja engajada e se torne aliada, reconhecendo que todos nós temos preferências e predisposições, os famosos vieses inconscientes. Esse é o primeiro passo para promover um ambiente onde todos possam ser ouvidos – negros, mulheres, pessoas com deficiência e LGBT+ – para que a pluralidade, tão presente em nosso País, possa ser representada em todos os níveis, de forma que a equidade prevaleça.

Para isso, é primordial que a responsabilidade seja de todos e não somente da área de Recursos Humanos. É necessário que os líderes estejam cientes da representatividade de funcionários que se enquadram em grupos de diversidade em suas áreas, se engajem em iniciativas inclusivas e tenham em suas avaliações o compromisso com a diversidade, orientando que todos os funcionários, sem exceção, passem por treinamentos e experiências para que possam exercer a empatia e serem vocais no tema.

Isso permite que todos na empresa reflitam sobre suas responsabilidades como agentes de mudança e transformação da cultura organizacional e em como podem promover a inclusão e o respeito no ambiente corporativo e, até mesmo, fora dele.

O tema diversidade e inclusão é sobre formar equipes mais criativas, aprimorar o desempenho e a experiência de funcionários, criar valor para a marca e oportunidades equivalentes no ambiente de trabalho e, acima de tudo, sobre o ser humano. Sobre como as pessoas se sentem acolhidas, quando suas ideias e ideais são valorizados. É um tema que emerge com mais maturidade e relevância para todos, nos negócios e na sociedade e, na minha visão, será pauta da alta liderança em empresas de todos os setores e tamanhos nos próximos anos. Ninguém pode ficar de fora.

* Fabiana Cardoso Marcellino de Jesus é líder de diversidade e inclusão da IBM Brasil.

Tendências: