Home office: como se dar bem (e manter a produtividade) com estágio em casa

Home office: como se dar bem (e manter a produtividade) com estágio em casa

Mais da metade dos estudantes que realizam estágio em áreas corporativas começaram já em regime de home office; criar rotina e priorizar tarefas importantes ajudam

Tiago Mavichian

27 de agosto de 2021 | 10h00

Desde que a pandemia começou, um dos temas que mais se discute no mercado é o home office. Embora esse modelo de trabalho imponha desafios às empresas e aos funcionários, inclusive estagiários, a maioria dos estudos aponta que ele veio para ficar. De acordo com a pesquisa FIA Employee Experience (FEEx), 90% das empresas no Brasil aderiram a alguma modalidade de home office — antes do coronavírus, menos da metade das empresas (43%) ofereciam opção de trabalho a distância e apenas 7% dos 150 mil funcionários que responderam aos questionários atuavam em home office.

Outro levantamento, feito neste ano, no Reino Unido, e divulgado pela Bloomberg, mostra que 71% das empresas disseram não notar redução de produtividade no home office e, não à toa, 65% delas já estão desenvolvendo um modelo híbrido para o pós-pandemia. O objetivo é dar aos funcionários maior flexibilidade sobre onde e quando desempenham suas atividades. Sendo assim, a chance de você vir a trabalhar em home office, ao menos em alguns dias da semana, é grande.

Por isso, antes de seguir com o raciocínio, eu gostaria de deixar uma coisa clara: independentemente de onde você estiver, a verdade é que no fim do dia o que vale é a sua entrega e o valor que agregou ao time e aos projetos dos quais faz parte.

65% das empresas estão desenvolvendo um modelo híbrido para o pós-pandemia. Foto: Yasmina H/Unsplash

Dito isso, é fundamental reforçar algo simples, mas que às vezes perdemos de vista. O ambiente da empresa é mais controlado, ou seja, além de haver menos distrações, os líderes estão disponíveis para apoiar e tirar as dúvidas no momento em que elas surgem.

Já em casa, nem sempre é assim que acontece. Portanto, para garantir uma entrega consistente e contínua, você deve recorrer a técnicas de produtividade e às boas práticas do home office. Vou repassar neste artigo aquelas que considero essenciais para você fazer seu checklist:

  • Crie uma rotina

  • Reveja o seu método de organização

  • Restabeleça horários de trabalho, almoço e pausas

  • Priorize as tarefas mais importantes, começando pelas mais complexas, pois no início do expediente estamos com o gás completo

  • Separe períodos para redes sociais e para verificar mensagens no celular

  • Use cadeira confortável e espaço adequado para apoiar o notebook e os objetos de trabalho

  • Mantenha o ambiente limpo, organizado e calmo

  • Peça a colaboração da família para reduzir o barulho

Técnicas para aumentar a produtividade

A maioria das pessoas acredita que precisa trabalhar horas seguidas para produzir mais. Isso é um equívoco. Todo mundo precisa fazer pausas e dar um tempo durante o expediente. A ciência já provou que pequenos intervalos melhoram a concentração, reduzem o estresse e nos auxiliam a render mais.

Neste sentido, vou ensinar duas técnicas. A primeira vem da Metodologia Ágil: a cada uma hora trabalhada, você para cinco minutos. Ela é baseada na tese de que nós temos ciclos de entrega e exaustão. Quanto mais exaustão você tem, menos vai conseguir produzir; então, você precisa de paradas. A outra é a famosa Técnica Pomodoro, método de gestão de tempo desenvolvido pelo italiano Francesco Cirillo. Nele, atuamos com ajuda de um cronômetro: 25 minutos trabalhados e cinco de pausa. O site Tomato Timer auxilia nesta contagem.

Tenho certeza que uma dessas duas estratégias ajudará a aumentar sua produtividade. Você pode testar e ver qual delas funciona melhor para você.

Reunião de aproximação

Você já ouviu falar de daily? Se a sua resposta for não, fico feliz por estar apresentando a você algo que fez e ainda faz toda a diferença no meu dia a dia. A daily nada mais é que uma reunião diária. A ideia nasceu nos times de tecnologia, mas se espalhou por outros departamentos, sobretudo depois da pandemia de covid-19, em que as pessoas passaram a atuar distantes uma das outras.

Funciona assim: durante a daily, cada membro do time fala rapidamente o que fez no dia anterior, o que irá trabalhar ao longo do dia e se existe algum problema ou impedimento. Geralmente, ela acontece de manhã e pode durar de cinco até 15 minutos, dependendo do número de participantes. Se tiver um impedimento, por exemplo, o líder trata diretamente com a pessoa ou time na sequência da daily.

Como o objetivo é que todos saibam o que está acontecendo na área, os estagiários também participam. E, se a sua companhia ou equipe não faz nada parecido com isso e tudo fica meio solto, minha dica é que você leve a sugestão para eles.

O exercício de falar o que fez e ainda vai fazer obriga o profissional a refletir sobre as próprias atividades, a ter clareza da agenda e a promover uma organização mínima. Ou seja, é ótimo para aprender a priorizar, analisar, pensar e tomar decisões.

Outro rito da metodologia ágil é a ”revisão”, em que a empresa organiza uma reunião mais longa, uma vez por semana, onde você e cada um do time apresenta os resultados que teve ao longo daquele período. Após essa reunião, você pode aproveitar para pedir feedback do seu trabalho, questionando: “Como estou indo?”,“em que posso melhorar?”, “como posso ajudar?”.

Modelo híbrido

Um rápido levantamento em nossa base de dados mostra que metade dos estagiários que começaram a atuar na pandemia não sabem nem como é o escritório da sua empresa, pois nunca estiveram lá. Talvez um deles seja você.

Como o modelo híbrido é uma tendência e boa parte das organizações pretende instituir home office de até três vezes por semana, acredito que você terá de fazer uma movimentação contrária — passando do modelo 100% remoto para uma realidade mais presencial. Quando isso acontecer, aproveite ao máximo as trocas, o aprendizado e a conexão olho no olho que o mundo virtual não possibilita.

Lembrando que, tanto no presencial quanto no remoto, desempenho fora da curva, crescimento e efetivação dependem de entregas. Então, mãos à obra!

* Tiago Mavichian é CEO e fundador da Companhia de Estágios, startup de RH especializada em seleção e desenvolvimento de aprendizes, estagiários e trainees. Pós-graduado em gestão de pessoas pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, possui mais de 15 anos de experiência na área de RH.

Tudo o que sabemos sobre:

Sua Carreiraestágiotrabalho

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.