O que falta para você conseguir um aumento salarial?
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

O que falta para você conseguir um aumento salarial?

Entre fatores que influenciam no aumento do salário, uma série de questões individuais são decisivas para saber se você está no momento certo, analisa especialista

Breno Paquelet

09 de dezembro de 2019 | 08h10

Essa é uma pergunta muito comum. Alguns acreditam que há uma única questão determinante para obter um salário melhor. É necessário entender que existem diversos fatores relacionados ao sucesso na carreira (e, consequentemente, a “parar de ganhar mal”). Para cada uma dessas questões é necessário entender que os contextos podem até ser similares, mas o momento de carreira sempre deve ser avaliado individualmente.

Os contextos dependem basicamente de:

  • Merecimento
    Ponto fundamental para analisar se o aumento realmente faz sentido. Passa por questões individuais que avaliam atitudes, desempenho, nível de conhecimento técnico, relacionamento interpessoal e grau de engajamento com a empresa. Também deve ser também feita uma análise objetiva, buscando informações sobre a faixa de remuneração do mercado, para avaliar se o salário realmente está defasado.
  • Viabilidade
    Mesmo que o aumento seja merecido, precisa ser viável para a empresa. A conta tem que fechar e o momento do pedido precisa ser oportuno. Caso se torne inviável, é preciso buscar soluções que permitam equacionar a questão, como: aumentar receitas, reestruturar funções, rever processos e reduzir custos.
  • Convencimento
    Contempla os movimentos necessários para transformar o desejo em realidade. Sejam eles estratégicos (mapeando os influenciadores dessa decisão, aumentando sua visibilidade, entendendo os movimentos da empresa) ou táticos, envolvendo a negociação efetiva.

Requisito é ter equilíbrio entre conhecimento técnico e inteligência emocional. Foto: Mohamed Hassan/Pixabay

A convergência dos três fatores (merecimento, viabilidade e convencimento) torna o aumento salarial muito provável. A falta de merecimento pode ser resolvida diretamente pelo funcionário. A viabilidade e o convencimento podem ser remediadas, mas sucessivas tentativas sem resultado podem sinalizar que uma mudança na carreira seria o melhor caminho para o sucesso profissional.

Entre as questões individuais, que em grande parte dependem unicamente do profissional, seis fatores são essenciais:

  1. Nível de comprometimento e paixão
    Dedicar-se ao negócio como se fosse seu, com excelência, proatividade, fazendo mais do que se espera da função, significa muito para a empresa. São atitudes observadas pelo gestor. Muitos esperam a recompensa antes do esforço, mas essa ordem é inversa.
  2. Entrega consistente de resultados
    Dedicação e esforço precisam ser dirigidos para questões relevantes, que rendam frutos ao negócio. Profissionais de sucesso entendem os pontos críticos para a empresa e priorizam suas ações estrategicamente.
  3. Equilíbrio entre conhecimento técnico e inteligência emocional
    Só conhecimento técnico não basta. Estudos indicam que cerca de 90% das demissões são causadas por problemas comportamentais. Profissionais que conseguem equilibrar inteligência emocional com conhecimento técnico são mais propensos a avançar na carreira.
  4. Bom relacionamento interpessoal
    Empresas são feitas de pessoas. Ter bom relacionamento interpessoal é essencial para executar projetos, principalmente com estruturas pouco hierarquizadas, em que a autoridade formal já não basta para garantir o cumprimento de tarefas.
  5. Sorte (estar no lugar certo, na hora certa)
    O efeito da sorte (ou a falta dela) não pode ser negligenciado no ambiente corporativo. Estar no lugar certo, no momento oportuno, é muito importante, mas também é preciso se preparar antecipadamente para aproveitar as oportunidades (ou para enxergá-las).
  6. Habilidade de negociação
    É preciso atuar para transformar esses fatores em uma combinação de remuneração e qualidade de vida que seja viável para a empresa e satisfatória para o funcionário.

Caso o contexto esteja adequado, pode-se se chegar à seguinte conclusão: na presença de todos os seis fatores individuais, o sucesso é certo. Na ausência de um deles, ainda é possível (apenas mais demorado). Sem dois ou mais, pouco provável.

* Breno Paquelet é especialista em negociações estratégicas pela Harvard Business School, com educação executiva em Estratégia Empresarial no Massachusetts Institute of Technology (MIT). É professor do MBA em Gestão Empreendedora da Universidade Federal Fluminense (UFF), professor convidado da Casa do Saber/RJ e autor do livro ‘Pare de Ganhar Mal’ (ed. Sextante).