As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

“Pontos fortes: o alicerce do desenvolvimento profissional”

Claudio Marques

21 de maio de 2014 | 07h13

 

Sandra Loureiro*

Quando o assunto é desenvolvimento de carreira, muito se fala sobre pontos fortes e fracos. Embora exista unanimidade de que é fundamental identificar com clareza forças e fraquezas, não há a mesma concordância quando se trata da direção que os esforços de desenvolvimento devem tomar para gerar crescimento e diferenciação do profissional.

Na prática, noto que prevaleça a ideia de que devemos investir mais nas nossas lacunas, comumente denominadas de “oportunidades de crescimento”, do que nas nossas forças. É comum encontrarmos profissionais talentosos guiados pelos seus “planos de desenvolvimento”, muitos deles elaborados com metodologias sofisticadas, altos custos e grande empenho pessoal dos envolvidos focarem seus esforços de melhoria nas suas fraquezas. E é claro, impulsionados pelo legítimo desejo de se tornarem mais completos, mais competentes e melhores.

Nada de mal nesta intenção, porém, tal prática esconde uma armadilha muito comum, a de subestimarmos nossas forças. Esse comportamento pode causar efeitos danosos na nossa psique. Ao colocarmos o foco nas fraquezas, deslocamos nossas energias para algo que provavelmente não está diretamente relacionado às nossas aptidões e talentos, mas a exigências externas que pouco ou nada tem a ver conosco.

Este processo diminui nossa autoestima ao gerar autodepreciação e culpa por não correspondermos aos parâmetros externos de qualificação. Sem contar o fato de que, frequentemente, os esforços de melhoria não são proporcionais ao aumento do nosso desempenho, mas podem resultar em estagnação ou em crescimento mais lento na carreira. Não estou querendo dizer com isso que devamos olhar e investir exclusivamente naquilo que nos interessa, ignorando nossas deficiências.

Mas uma coisa é aprender e melhorar algo periférico para executarmos com mais destreza nossas tarefas. Outra é transformar este em objetivo maior do desenvolvimento profissional. Nossos pontos fortes são caracterizados por nossos talentos, conhecimentos e habilidades, que levam a um desempenho diferenciado.

Certamente, neles reside o maior potencial de crescimento e diferenciação e, portanto, nossos esforços nesta direção podem resultar em chances mais concretas de sucesso profissional.

Professora da PUC e psicóloga

Envie sua questão sobre carreira ou profissão para empregos.estado@estadao.com

Tudo o que sabemos sobre:

foco na carreira

Tendências: