Potencial x carreira: lições aprendidas com Tony Robbins
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Potencial x carreira: lições aprendidas com Tony Robbins

Na quinta-feira, dia 9 de agosto, Tony Robbins, coach mundialmente reconhecido pelos seus seminários, livros e documentário da Netflix 'Eu não sou seu guru' esteve pela primeira vez na América do Sul

blogs

18 Agosto 2018 | 16h06

Tony Robbins durante evento em São Paulo. Foto: Iara Morselli/Estadão-9/8/2018

Fabrício César Bastos*

Eu participei do seminário com aproximadamente 12 mil pessoas com o objetivo de desenvolvimento pessoal e profissional. Na plateia estavam empreendedores, profissionais liberais, professores e pessoas que trabalham como funcionários em diversos segmentos de empresas. Do seminário, que durou um dia inteiro, tirei duas grandes lições de carreira que compartilharei a seguir.

A primeira lição que ficou marcada para mim foi que não é a falta de recursos que gera o fracasso na carreira ou o insucesso em empresas, mas sim falta de engenhosidade.

Esta questão da engenhosidade ficou tão forte para mim que analisando diversas situações de pessoas que começaram negócios do nada como Walt Disney, Silvio Santos e inúmeros outros casos, se fossem esperar ter os recursos ideais para iniciar seus projetos provavelmente não conheceríamos a Disney World nem o SBT.

Nos dois casos, tanto Walt Disney quanto Silvio Santos centraram seu foco na engenhosidade do seu potencial e nos seus sonhos ao invés de ter uma preocupação excessiva com recursos.

Lição 1: recursos são importantes, mas a engenhosidade pode determinar o sucesso de uma carreira e de um negócio.

Já a segunda lição é o processo que poderá contribuir para a engenhosidade ser de fato um diferencial entre quem tem “apenas” uma ideia e quem faz acontecer: o Ciclo do Sucesso.

O Ciclo do Sucesso, de acordo com Robbins, é constituído por 4 pontos: potencial, ação, resultados e crenças. Na visão de Robbins o potencial é inato ao ser humano e até pode ser lapidado (com treinamento por exemplo); as ações estão conectadas com o nosso potencial; os resultados podem ser vistos como uma consequência das atitudes (ações e comportamentos) que temos; por fim, as crenças direcionam a maneira como pensamos e no que acreditamos.

Neste Ciclo, os dois principais pontos de alavancagem na carreira, no contexto organizacional e na vida, são as crenças e as ações (nesta ordem). Crenças potencializadoras tendem a nos levar a utilizar nosso pleno potencial e favorecem o alcance dos resultados que desejamos; as crenças limitantes geralmente nos “travam” mesmo com um potencial enorme para realização.

A famosa frase atribuída à Einstein “Insanidade é continuar fazendo sempre a mesma coisa e esperar resultados diferentes” retrata o poder da ação correta. Caso ainda não tenha alcançado o resultado desejado, talvez seja importante fazer novas e diferentes ações.

Lição 2: desenvolva crenças potencializadoras e ações corretas.

Deixo a seguinte reflexão tanto para a vida quanto para a carreira: você está usando todo o seu potencial atualmente?

*Professor da PUC