Profissional aposta em capacitação para ser promovido ou mudar de emprego
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Profissional aposta em capacitação para ser promovido ou mudar de emprego

Segundo pesquisa do LinkedIn, 41% dos entrevistados recorrem a certificações para melhorar percepção que gestores têm do seu trabalho; temas dos conteúdos variam de acordo com idade e estágio profissional

Redação

06 de maio de 2020 | 13h35

Uma pesquisa realizada pelo LinkedIn no Brasil apontou que dois a cada três profissionais do País buscam novos aprendizados ou reciclagem de conhecimento para receber uma promoção ou mudar de emprego. Foram ouvidos mais de 2 mil colaboradores que atuam em período integral nas empresas.

A preocupação com o desempenho profissional é um dos principais pontos que move quem busca capacitação. De acordo com o levantamento, 41% dos entrevistados recorrem a novas certificações para melhorar a percepção que seus gestores diretos têm do seu trabalho. Enquanto buscam conhecimento, eles esperam alcançar uma melhora no desempenho (75%) e, também, o aumento da renda (52%).

Dentro da trajetória profissional, as pessoas que estão no início da carreira são as que mais se dedicam aos estudos (50%). Em seguida, ficam os que estão no nível intermediário (33%) e cargos seniores, como vice-presidente e diretor (13%). Por último, estão os executivos sêniores (C-suite), com 4%.

O tipo de conhecimento mais procurado é sobre trabalho em equipe, seguido por habilidades de negócio, como decisão, persuasão, negociação, entre outros. Conteúdos relacionados aos temas de adaptação e colaboração também são buscados com frequência.

Mas as áreas procuradas também variam de acordo com os estágios profissional e de vida nos quais o trabalhador se encontra. Entre os adolescentes, o interesse maior é por conteúdos relacionados à criatividade (44%). Já pessoas na casa dos 20 anos buscam mais por técnicas de persuasão (22%). Entre os profissionais com mais de 40 anos, 31% procura por aperfeiçoamento em gestão de pessoas.

Tipo de conhecimento mais buscado segundo pesquisa é sobre trabalho em equipe. Ilustração: Black Illustrations

Por fim, a pesquisa também contemplou os entraves vivenciados por quem gostaria de estudar mais e não consegue. Os principais motivos apontados pelos entrevistados são as obrigações pessoais (32%) e a falta de tempo em geral (27%).

Capacitação online

O levantamento evidenciou a demanda pelo aprendizado online: 33% dos entrevistados dedicam de 1 a 2 horas por semana para concluir cursos pela internet. Livros e podcasts também aparecem entre as opções de capacitação.

Embora a pesquisa tenha sido realizada entre outubro e dezembro de 2019, de acordo com o LinkedIn, um novo levantamento da empresa mostra crescimento da demanda neste ano em sua plataforma de capacitação, o LinkedIn Learning. De fevereiro a março, foi percebido um aumento de 50% (mês a mês) de acesso ao streaming do conteúdo.

Em março, foram 4 milhões de horas de conteúdos assistidos, com destaque para temas como trabalho remoto, gerenciamento de tempo, dicas de produtividade, Microsoft Teams e Zoom.

Também houve aumento na procura por conteúdos relacionados a saúde mental. O número de pessoas participando de cursos sobre resiliência cresceu 130% em março, em relação a fevereiro. Já os temas de mindfulness e gerenciamento de estresse tiveram três vezes mais público do que no mês anterior.

O LinkedIn Learning oferece 15 mil cursos, sendo 200 deles em português, nas áreas de soft skills, desenvolvimento profissional, liderança e gestão. Há conteúdo gratuito.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: