Publicitário mantém legado de diversidade em cargo de liderança no setor

Publicitário mantém legado de diversidade em cargo de liderança no setor

Subrepresentação racial na publicidade levou a pacto entre agências e Ministério Público do Trabalho em 2019; confira rotina de head de conteúdo da Ogilvy, promovido durante a pandemia

Marina Dayrell

19 de julho de 2020 | 06h03

Em meio à pandemia do novo coronavírus, o publicitário Vinícius Chagas recebeu uma notícia: a promoção à head de conteúdo da Ogilvy Brasil. Depois de oito meses atuando como Content Strategist Leader na empresa, na última semana ele passou a integrar o time de lideranças da agência publicitária. Na agência, que atende clientes como Nestlé e Aperol e possui 400 funcionários, Vinícius agora responde diretamente ao CEO, Luiz Fernando Musa.

Com o novo cargo, ele ocupa uma das áreas nas quais os profissionais negros ainda estão subrepresentados, principalmente em cargos de liderança. Essa disparidade motivou, no último ano, que o Ministério Público do Trabalho (MPT) firmasse um pacto com 15 grandes agências de publicidade do País – entre elas a Ogilvy – para ampliar a participação de profissionais negros no mercado publicitário nacional.

A diversidade, segundo Vinícius, é um dos legados deixados pela sua antecessora no cargo – Samantha Almeida deixou a empresa para trabalhar em projetos pessoais. “Ter uma liderança negra no mercado publicitário hoje tem que ser a ponta do iceberg, tem que ser só o começo de uma história que vai cascatear para uma galera que está aí batalhando e não tem oportunidade”, diz.

Não são raros os casos em que as marcas veiculam propagandas racistas e, depois da reação do público, acabam tendo que se reposicionar, como caso recente da Bombril. “Com pessoas negras em uma conta, o filtro já começa a vir diferente. Para quem não é negro, não tem essa vivência. Por isso eu falo que a variedade de pessoas dentro da mesma equipe é muito importante. Além de tudo, o resultado para o cliente chega mais redondo e blindado”, explica.

Como é a rotina de um head de conteúdo? Vinícius diz que um dia dificilmente é igual ao outro, o que torna a rotina bem dinâmica. Na quarentena, a alternativa tem sido fazer tudo a distância.

Vinícius Chagas, 36 anos, promovido a head de conteúdo da agência Ogilvy na pandemia. Foto: Autorretrato

Para coordenar a área de produção de conteúdo digital da empresa e gerenciar os cerca de 60 profissionais sob sua liderança, o item indispensável da sua rotina tem sido aquelas que se tornaram parte da vida profissional de quem está de home office: as reuniões virtuais. Confira abaixo a rotina de Vinícius:

8h. Começo do dia

Durante a pandemia, o gaúcho de 36 anos trocou o escritório físico em São Paulo pelo home office. O dia de Vinícius começa cedo. Morando sozinho, ele prepara o café da manhã e já vai escolher o look do dia. “Mesmo trabalhando de casa, eu acho importante manter um pouco da rotina ‘normal’.”

O próximo passo é ler as notícias e entrar no Twitter para ver o que está acontecendo. Ainda que esteja oficialmente fora do horário de trabalho, essa atividade já o ajuda no planejamento do restante do dia. É pela rede social que ele acompanha as tendências, os assuntos mais comentados e os memes.

“Vejo o que está acontecendo no mundo e no mercado como um todo para entender o que podemos usar. Para um profissional de conteúdo é essencial estar sempre bem informado.”

10h. Prioridades são eleitas

Quando começa o expediente, a primeira tarefa do publicitário é analisar a lista do que deve ser feito e eleger as prioridades do dia. Ele ocupa o cargo de head de conteúdo há pouco mais de uma semana, então está aprendendo as novas funções a distância.

“Eu trabalhava muito próximo da Samantha Almeida [que ocupava o cargo de head de conteúdo até o começo de julho], então muitas coisas já estavam no meu radar, mas estou me familiarizando agora. Hoje em dia já estamos mais acostumados a lidar com o trabalho a distância, mas tenho tido apoio da equipe para me respaldar com as coisas que eu preciso lidar neste momento. Tenho me reunido com o líder de estratégia e estou começando a conversar com as pessoas, para conhecê-las melhor e ver quais são os lugares onde eu posso entrar para ajudar”, conta.

10h30. Rotina de ‘calls’

O item mais presente na sua rotina com certeza são as reuniões. Ou ‘calls’, como o mundo corporativo gosta de chamar. Durante a pandemia, os 400 funcionários da Ogilvy estão de home office desde março, sem previsão de volta, então todas as atividades são feitas virtualmente.

“Como tenho muitas reuniões, a ideia é entender em quais eu preciso estar obrigatoriamente. Geralmente, são as de liderança, ambientações e as estratégicas com parceiros”, explica.

Com a agenda definida, ele começa a fazer as primeiras ligações já pela manhã. “Estamos participando de concorrência (processo de disputa pela conta publicitária de um cliente), tem cliente novo entrando na agência, então estamos bem focados nessa parte estratégica, com muitas reuniões internas e com o cliente. A minha rotina tem sido basicamente uma sequência de ‘calls’ e alinhamentos internos.”

Como head de conteúdo, ele é uma ponte entre o cliente e a agência. É da responsabilidade dele supervisionar todos os pontos do trabalho da equipe, como a reunião com o cliente para entender os objetivos da empresa, o desenvolvimento de conteúdo das marcas para as plataformas digitais, campanhas e ações em mídias sociais e, por fim, a apresentação dos projetos desenvolvidos. 

Entre o último cargo, de Content Strategist Leader, e o atual, a diferença é que agora Vinícius tem uma visão maior do processo de desenvolvimento de conteúdo. O seu foco é na estratégia e no desenvolvimento dos líderes que vão coordenar essas estratégias. Um dos produtos desenvolvidos pelo seu time, por exemplo, é o conteúdo criado para a página Receitas Nestlé, que reúne vídeos e dicas sobre o universo culinário a partir de produtos da marca.

13h. Pausa instagramável

A pausa vem só por volta das 13h, quando se dedica a preparar o almoço. Com o home office, ele trocou a companhia dos colegas por um tempo para preparar a sua própria refeição e praticar um dos seus hobbies favoritos: fotografar comida.

“Como eu gosto muito de tirar fotos de comida, a quarentena tem sido boa para isso. Fotografar os pratos depois de prontos já faz parte da minha rotina. Além de gostar muito dessa parte do dia, ainda me ajuda no caminho para me alimentar melhor.”

14h. Legado de diversidade

A sequência de reuniões recomeça por volta das 14h. “Pensar ‘social content’ como um todo, e não apenas como desdobramento, é o que fazemos. Trabalhamos para gerar engajamento, conversas e estabelecer relacionamentos que façam as marcas importarem na jornada das pessoas. Isso envolve a integração do time, que é multidisciplinar: dados, estratégia, design, redação, responding criativo”, explica.

Ao longo dia, além das reuniões com os clientes, ele precisa conciliar as ligações internas de apoio ao time no desenvolvimento de estratégias para os projetos. “Por isso, é importante todos os dias conectar todas as pontas e as videoconferências têm sido a melhor ferramenta para isso na quarentena”, diz.

Um dos pontos positivos de assumir a equipe, segundo ele, é que a ex-head de conteúdo deixou um legado de diversidade no time, um compromisso também do publicitário.

“É fundamental ter pessoas de todos os lugares, com todos os contextos na mesma equipe. Um time com a mesma cabeça não tem ideias inovadoras. Isso deveria ser obrigação em qualquer lugar. A minha intenção é continuar cada vez mais trabalhando com diversidade e aumentar ainda mais esse quadro dentro da minha equipe”, conta.

19h. Pijama para ‘desligar’

Depois de um dia intenso de reuniões, é hora de finalizar o trabalho, embora seja difícil dizer se quem trabalha com redes sociais e conteúdo consegue realmente se desconectar. A tática do publicitário é já colocar o pijama após o banho. “Me ajuda a virar a chave”, diz.

Durante a pandemia, toda a sua rotina tem sido em respeito às regras de isolamento social, então o lazer também é caseiro. Entre ouvir vinis e assistir filmes e séries, ele ainda encontra disposição para mais algumas ‘calls’. Mas, dessa vez, com os amigos e com a família.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.