Quando uma piada (sobre divorciados) no trabalho não tem graça
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Quando uma piada (sobre divorciados) no trabalho não tem graça

'Divorciado não é uma categoria protegida por leis que coíbem discriminação em locais de trabalho'

blogs

06 Setembro 2018 | 07h03

Ilustração: Pixabay

The New York Times 

“Numa recente reunião de equipe, um colega largou uma piada sobre divórcio que fez os cerca de 20 participantes caírem na gargalhada. E m suma, a piada insinuava que divorciados são fracassados. Até onde sei, sou a única pessoa divorciada na equipe. Na hora não liguei, mas agora percebo que todo mundo se divertiu com uma gozação que só se aplicava a mim.  Minha empresa se esforça para ter um ambiente de trabalho hospitaleiro e inclusivo. Não vejo necessariamente essa piada como discriminação, mas em que ela difere de uma gozação semelhante envolvendo religião, gênero ou raça?” E. R.

Ilustração: Gracia Lam / The New York Times

Rob Walker, o ‘workologista’, responde:     

Seu colega foi imprudente, mas eu não transformaria o caso num problema. Acho que ele não sabia que você passou por um divórcio e não tinha intenção de ofender. Também não imagino que ele costume fazer graça com divorciados em toda reunião. Diferentemente dos outros exemplos que você deu, “divorciado” não é uma categoria protegida por leis que coíbem discriminação em locais de trabalho. O fato de você gostar ou não disso não importa. Se você quiser desanuviar o ambiente, pode dizer ao colega algo como:

“Sei que você não quis agredir ninguém com sua piada, mas a verdade é que eu sou divorciado e tenho certeza de que outros colegas têm pais, irmãos ou amigos divorciados. O assunto, convenhamos, não é engraçado para os afetados por ele. E, a propósito, muitos divorciados são bem-sucedidos”.

Procure manter um tom calmo e objetivo ao falar – basicamente, você está fazendo um favor ao colega. Se o cara for mesmo um babaca, ele pode até achar que você esteja exagerando, mas o mais provável é que fique grato. De qualquer forma, perdoe e siga em frente. / Tradução de Roberto Muniz