Referência de trabalho relutante

REDAÇÃO

24 de julho de 2018 | 12h22

Ilustração: Gracia Lam / The New York Times

 The New York Times

Deixei meu último emprego em boas relações. Mas quanto contatei meu ex-chefe pedindo uma carta de referência ele se recusou, alegando não mais se  lembrar do meu trabalho. Claro que se um novo empregador contatá-lo, minha candidatura será prejudicada.

ANÔNIMO

Rob Walker, ‘workiologista’ – A resposta do seu ex-patrão é um pouco preocupante. Mas suponho que ele lhe prestou um favor. Você está certo quando diz que se um empregador potencial ouvir do seu ex-patrão que “não me lembro o que esta pessoa fez”, isso provavelmente vai afundar sua candidatura.

Mas se deixou a companhia em bons termos, provavelmente as relações com essa pessoa e outras da empresa eram boas. Eu focaria menos no nível que a pessoa se encontra na cadeia de comanda e mais no fato de ela avaliar positivamente sua competência e atributos.

Você pode explicar ao seu potencial empregador que essa pessoa é uma referência mais apropriada porque você não trabalhou muito próximo daquele que, no papel, era seu supervisor (Ou algo similar, desde que não seja falso).

Finalmente, eu o aconselharia a enfatizar e oferecer para os empregadores  potenciais referências de outros empregos que teve, em que deixou uma boa – e duradoura – impressão.

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.