As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

‘FT’: minério de ferro, o negócio da Vale, é ‘rei das commodities’

Colunista do jornal britânico traz informações animadoras para o setor

Carla Miranda

16 de fevereiro de 2011 | 11h10

Javier Blast, respeitado jornalista do “Financial Times”, escreveu em sua coluna nesta quarta-feira, 16, que o minério de ferro se tornou “o rei das commodities” e a brasileira Vale confirmará essa aferição.

“A Vale, do Brasil, maior produtora de minério de ferro do mundo e segunda maior mineradora em valor de mercado, confirmará essa tendência quando reportar seus resultados dia 24 de fevereiro”, afirmou a coluna.

—-
Presidente da Vale, Agnelli tenta ganhar simpatia de Dilma – em vão
—-

Para chegar a essa conclusão, a de que o minério de ferro é o rei das commodities, o jornalista se baseou tanto em dados públicos como em informações que correm a boca pequena.

Os dados públicos:

– A BHP Billiton, maior mineradora em valor de mercado, teve um ganho de US$ 15 bilhões no segundo semestre do ano passado (o valor se refere o lucro sem considerar o que depois seria gasto com impostos e pagamento de juros). Desse valor, US$ 5,8 bilhõs vieram do minério de ferro (cerca de 40%).

– Na Rio Tinto, terceira maior mineradora em valor de mercado, o minério de ferro correspondeu a 60% do lucro (antes de impostos, juros e amortizações).

– Há um ano, a Vale e essas duas mineradoras vendiam o produto à China por US$ 61 a tonelada, em contrato anual. Hoje, o preço à vista, usado para negociar o contrato anual, está acima de US$ 185.

Os dados não oficiais:

– Negociadores e executivos da indústria acreditam que o preço à vista ultrapasse os US$ 200 em breve.

– “Muitos executivos com quem eu conversei esperam que o preço médio em 2011 seja maior do que o de 2010”, afirmou Blast.

Mas o colunista faz uma ressalva: os custos também estão aumenta para as mineradoras. Com isso, mesmo com um aumento do preço do produto, os lucros podem ser atingidos.

O minério de ferro tem um peso significativo na balança comercial brasileira. Em janeiro, entraram no País US$ 2,5 bilhões com a exportação dessa mercadoria, segundo dados preliminares do Ministério do Desenvolvimento. Isso quer dizer que um único produto – o minério de ferro, correspondeu a 16% de tudo o que o Brasil exportou em janeiro (um total de US$ 15 bilhões).

Leia no site do “FT” o artigo “O verdadeiro rei das commodities” (em inglês)

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.