Cinco lições da venda de carros nos EUA após a Black Friday
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Cinco lições da venda de carros nos EUA após a Black Friday

O ritmo de vendas no mês foi de 17,2 milhões, comparado a 16,29 milhões um ano atrás; A alta geral observada nas vendas da indústria foi de 4,6% em comparação com novembro de 2013

Economia & Negócios

08 Dezembro 2014 | 13h11

 Fred Meier

USA TODAY

Utilitários esportivos, modelos híbridos e caminhonetes dominaram a lista dos mais vendidos (Foto: NYT)

Utilitários esportivos, modelos híbridos e caminhonetes dominaram a lista dos mais vendidos (Foto: NYT)

Um forte final de semana de vendas após a Black Friday – com bastante marketing das montadoras e revendedoras desde o início do mês – transformou novembro num período de boom nas vendas e garantiu um final de ano forte nos Estados Unidos.

Várias montadoras, como Subaru e Audi, chegaram a recordes anuais de vendas graças ao resultado do mês – e ainda não chegamos ao fim de 2014.

Com a economia retomando o ritmo e o crédito ainda disponível a custo baixo, a situação parece boa para dezembro. E o expressivo resultado de novembro não foi impulsionado por um grande aumento nos incentivos à venda – esses foram menores do no ano passado e no mês passado – e com isso as montadoras ainda dispõem de ferramentas para garantir que o ano não termine mal.

Resultados de novembro:
* O ritmo de vendas no mês ajustado para o ano foi de 17,2 milhões, comparado a 16,29 milhões um ano atrás, de acordo com a Autodata. A alta geral observada nas vendas da indústria foi de 4,6% ante novembro de 2013.

* O preço médio estimado por transação (o valor realmente pago pelo comprador) envolvendo carros e caminhonetes foi US$ 32.482, alta de US$ 178 (0,6%) ante novembro do ano passado, mas queda de US$ 62 (0,2%) em relação a outubro, de acordo com a TrueCar.

* Os incentivos à venda tiveram média de US$ 2.660 por veículo, alta de 0,2% ante o ano passado e queda de 2,3% em relação ao mês anterior, de acordo com a TrueCar.

* O final de semana da Black Friday foi ótimo para comprar carros e dezembro pode ser ainda melhor, a julgar pelo ano passado. Em 2013, dois dos cinco dias nos quais os compradores conseguiram o maior desconto médio sobre o preço de tabela foram no final de semana da Black Friday, e os outros três foram em dezembro. Os melhores dias para descontos no ano passado (com desconto médio):
31 de dezembro, véspera de ano novo: 8,82%
2 de dezembro: 8,58%
30 de novembro: final de semana do Dia de Ação de Graças, 8,17%
20 de dezembro: 8,16%
29 de novembro: Black Friday, 8,15%

* As montadoras se mostraram ágeis no marketing em novembro, aproveitando desde cedo a magia da Black Friday para levar as vendas a patamares que não víamos há uma década”, disse John Krafkcik, presidente da TrueCar, em pronunciamento. “Embora as promoções fossem boas, as montadoras seguraram os incentivos e aumentaram o preço médio da transação em 1%.”

Na mais recente análise do mercado de carros do USA Today, eis aqui cinco lições das vendas de novembro:

1. Encontramos quatro surpresas (e meia) nas vendas do mês.
Quem diria? O número de fãs enrustidos dos carros Subaru foi tão grande a ponto de quase dobrar as vendas de alguns modelos novos. Essa foi apenas uma das muitas surpresas reveladas pelos dados das vendas de novembro. O Buick Encore SUV, com dimensões boas para rodar na cidade, serve para abrir nossos olhos, permanecendo no mercado tempo o bastante para se tornar um veterano popular num segmento que nem existia quando o Encore foi lançado.

2. Os utilitários esportivos, modelos híbridos e caminhonetes dominaram a lista de 20 modelos mais vendidos.
Por que as montadoras de Detroit dedicam tanta atenção e tempo às picapes completas? Para saber a resposta, basta conferir a lista de 20 modelos mais vendidos no mês. As rentáveis caminhonetes da Ford, Chevy e Ram estão na 1.a, 2.a e 3.a posições da lista, e a picape de alto padrão da GMC também entrou na lista dos 20 modelos mais populares.

3. A nova linha da Cadillac não foi capaz de ressuscitar a marca.
A Cadillac lançou uma nova linha de carros que, apesar das resenhas favoráveis e das boas notas recebidas, continuam vendendo muito abaixo do esperado pela marca da GM. Os novos modelos, XTS, ATS e CTS, todos lançados ainda em 2012, são caros demais, foram vinculados a expectativas de vendas irreais e ficam perdidos em meio ao novo boom dos esportivos utilitários, algo apontado pelos analistas e reconhecido pelos executivos da Cadillac.

4. Carros esportivos e utilitários esportivos tiveram pouca espera para compradores.
A neve chegou cedo a boa parte dos Estados Unidos, mas isso não impediu as pessoas de comprarem carros esportivos. Os três modelos que tiveram vendas mais rápidas em novembro têm potência de sobra. O Ford Mustang, de tração traseira, redesenhado para 2015, ficou no topo da lista pelo segundo mês consecutivo, empatado com outros dois veículos de alto desempenho – Porche Macan e Subaru WRX – todos com tração nas quatro rodas, de modo que o comprador não precisa se preocupar tanto com o clima.

5. Os compradores pagam pelos carros usados “garantidos” pela revendedora.
Diante do alto preço dos carros novos, um maior número de compradores procurou em novembro o mercado de carros usados. E a maior parte das vendas ocorreu no setor dos “veículos usados com garantia” – modelos recentes e usados inspecionados pela revendedora e oferecendo garantia de marca. Os carros desse tipo registraram alta no preço médio, chegando a US$ 16.130, em comparação ao valor pago no mesmo mês do ano anterior, de acordo com a CNW Research. Até novembro, as vendas deste ano tiveram alta de 10%.

 

Mais conteúdo sobre:

veículos