As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Abilio: fusão com Carrefour evita desnacionalização do setor

Para empresário, BNDES fará um bom negócio se participar na futura empresa

Carla Miranda

30 de junho de 2011 | 13h17

O empresário Abilio Diniz, presidente do Conselho de Administração do Pão de Açúcar, disse ontem em entrevista à TV Globo que o BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), se injetar dinheiro em uma eventual fusão entre a rede brasileira de varejo e os ativos do Carrefour no País, evitaria uma “desnacionalização” no sistema de abastecimento.

Abaixo, a transcrição da declaração de Abilio Diniz ao “Jornal Nacional”.

“Vamos continuar crescendo e vamos continuar gerando empregos. Hoje temos 158 mil [funcionários] só no Grupo Pão de Açúcar. A nossa meta é continuar crescendo, continuar dando a nossa contribuição ao nosso país gerando empregos. Todos com carteira assinada e com todos os benefícios que o grupo dá para as pessoas que trabalham lá.

É uma companhia listada em bolsa aqui nos EUA há 15 anos e não tem nada de ilegal. O que eu espero é que o Casino analise a proposta que ele recebeu, com atenção, com cuidado e sem emoção. Ele vai gostar da proposta. […] Eu acho que o BNDES fez um bom negócio, está evitando que o sistema de abastecimento seja desnacionalizado, acho que está fazendo um serviço para o consumidor, para a sociedade e para todos os brasileiros.”

Devido a um acordo firmado em 2005 com o Casino (empresa francesa que controla o Grupo Pão de Açúcar junto com Abilio, no ano que vem Diniz passaria para os franceses o controle da empresa criada por seu pai.

Assista ao vídeo com as declarações de Diniz

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.