As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Analistas questionam se iPad fará jus ao seu alvoroço

Após expectativa gerada pelo produto, analistas especulam sobre futuro do iPad

Carla Miranda

29 de março de 2010 | 14h30

O iPad, o aparelho da Apple que permite acessar a internet, assistir a vídeos, ver fotos e ler livros, gerou grande expectativa no mercado. Mas agora, a cinco dias de começar a ser vendido nos Estados Unidos, analistas questionam se esse alvorço será justificado comercialmente, segundo reportagem do New York Times .

O texto mostra que alguns fatores-chave para o sucesso comercial do iPad ainda estão em aberto. Por exemplo, não se sabe exatamente a quais aplicativos os usuários do iPad terão acesso. “A realidade do iPad será determinada pelos aplicativos que serão feitos para ele”, afirmou ao jornal o analistas Gene Munster, da Piper Jaffray.

Outra questão em aberto é o quão rápido a Apple vai acertar com grandes varejistas a venda do produto, diz o NYT. Por enquanto, ficou acordado apenas que o aparelho será vendido nas lojas da Apple e na Best Buy, varejista que, por sinal, não atua no Brasil.

Na avaliação da reportagem, o sucesso do iPad dependerá, também, das operadoras que vão trabalhar com o aparelho na versão 3G (tecnologia de conexão de terceira geração), que por enquanto fica restrito, nos EUA, à AT&T.

Depois que o aparelho foi apresentado ao mercado, em janeiro, as ações subiram mais de 10%, lembra o NYT; em março, os papéis se valorizaram quase 4% no dia em que a Apple informou que o iPad começaria a ser vendido no dia 3 de abril nos EUA. Depois de todo o alvoroço em torno do lançamento do produto, diz o jornal, os analistas se perguntam: “A Apple conseguirá fazer jus à imagem impactante [do iPad]?”

Especialistas preveem, sempre segundo o NYT, que 1 milhão de aparelhos sejam vendidos até o fim do ano.

Leia a reportagem no site do New York Times (em inglês)

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.