As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Analistas são otimistas demais com ações, diz pesquisa

Estudo examinou comportamento de economistas ao longo de 25 anos

Carla Miranda

20 de julho de 2010 | 18h21

Os analistas que fazem projeções para a Bolsa de Valores nos Estados Unidos são otimistas demais, segundo um estudo da McKinsey que examinou o comportamento desses profissionais ao longo de 25 anos. O levantamento foi noticiado no site norte-americano Financial News, ligado ao grupo de informações Dow Jones.

A pesquisa, intitulada “Analistas de ações: ainda especuladores demais”, constatou que, durante esse período, a alta das ações em média foi de 6% ao ano, metade do que os analistas previram. Eles projetaram, em média, uma valorização de mais de 10% para 70% das companhias consideradas no estudo. A pesquisa abrange as ações listadas no índice Standar & Poor’s, um dos principais da Bolsa de Nova York.

Os poucos casos em que os analistas acertaram, ou ficaram mais próximos do acerto, ocorreram em momentos em que a economia dos EUA crescia fortemente, constatou o estudo – em 1988, de 1994 a 1997 e de 2003 a 2006.

O site Financial News destaca uma das conclusões da pesquisa: “Constatamos que analistas foram otimistas demais, lentos para revisar suas previsões para refletir novas condições econômicas e inclinados a fazer projeções imprecisas quando o ritmo de crescimento econômico cai”.

Leia a reportagem no site Financial News (em inglês)

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.