As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Após recessão, grupo de americanos se prepara para fim do mundo

Problemas econômicos reforçaram ideia de que a sociedade não é tão segura

Carla Miranda

17 de fevereiro de 2010 | 14h22

A recessão na economia, o medo de catástrofes naturais e a preocupação com o terrorismo tem feito crescer cada vez mais um grupo de norte-americanos que decidiram se preparar para o fim do mundo, segundo reportagem do jornal britânico The Guardian.

Eles se autodenominam “preppers” (que significaria “precavidos”, em português) e acreditam que é melhor estar seguro do que arrependido. Os preppers se organizam em rede, por meio de sites como o Pioneer Living, para ensinar uns aos outros a preparar provisões de comida, fazer plantações no jardim de casa, caçar e se defender. O objetivo é “voltar ao básico” para garantir a sobrevivência em caso de “fim da civilização”.

A onda dos preppers, segundo o jornal inglês, começou a crescer após o 11 de Setembro e foi reforçada pela recessão econômica dos Estados Unidos – na qual milhões de norte-americanos perderam seus empregos e casas, mostrando que a sociedade não é tão estável quanto um dia pareceu.

O próprio secretário do Tesouro dos EUA, Tim Geithner, admitiu haver conversas no governo sobre a capacidade do país de fazer cumprir a lei e a ordem no caso de um colapso do sistema financeiro.

Leia a íntegra da reportagem no site do Guardian (em inglês)

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.