As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Apple quer vender programas de TV dos EUA a US$ 1

Preço é metade do cobrado no serivço iTunes; empresa espera iPad chegar às lojas

Carla Miranda

11 de fevereiro de 2010 | 08h59

Atualizado às 15h03*

APPLE_IPAD_CHIP__.jpg
Chip do iPad, em foto do New York Times

A Apple planeja vender programas da televisão norte-americana por US$ 1 quando o iPad chegar às lojas, informa com exclusividade o jornal britânico Financial Times. O preço é metade do que a mesma Apple cobra no iTunes, serviço de vendas online.

Primeiro em fase de teste, em abril, a Apple oferecerá alguns programas com preço baixo para verificar se essa estratégia impulsionará a venda dos vídeos. Um executivo da empresa ouvido pelo FT disse que as 120 milhões de contas ativas de clientes do iTunes pode prover uma base madura para experimentar mudanças na economia da mídia digital.

O jornal cita duas razões para os executivos da mídia se sentirem pressionados a aceitar um acordo com a Apple. Primeiro, a queda nas vendas de DVD. Depois, a popularização, nos EUA, de uma rede de locações chamada Redbox – pequenos quiosques que alugam filmes a preços baixos e estão se espalhando pelo país.

Para se ter uma ideia da dor de cabeça que esses quiosques têm causado à indústria midiática e varejista, o Walmart, maior rede de supermercados do mundo, decidiu em fevereiro não permitir que uma mesma pessoa compre muitos DVDs ao mesmo tempo. O objetivo é impedir que o Redbox adquira DVDs em larga escala e os deixe disponíveis para aluguel.

Metade do preço, quíntuplo das vendas

“Se você movimenta cinco vezes o volume pela metade do preço, é uma boa ideia”, afirmou ao FT um estrategista digital de um grande conglomoerado de mídia.

Desde que o iPad foi apresentado ao público, em janeiro, a Apple vem desenvolvendo negócios com programas de televisão, disse um executivo ao jornal. Na terça-feira, o presidente da Walt Disney, Bob Iger, declarou que estava desenvolvendo conteúdo especial para o iPad.

*Corrigida informação sobre número de contas do iTunes

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.