As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Ataque coordenado de ‘hackers’ atinge 2.411 empresas no mundo

Criminosos coletam dados de internautas por meio de sites e e-mail

Carla Miranda

18 de fevereiro de 2010 | 10h52

Um ataque a sistemas de informação de empresas, coordenado a partir da Europa e da China, expôs a criminosos “vasta quantidade de segredos pessoais e profissionais” nos últimos 18 meses, segundo reportagem do Wall Street Journal.

De acordo com dados da NetWitness, empresa de segurança de computação que descobriu as brechas, foram atingidas 2.411 companhias das Américas, Europa, África e Ásia, em vários setores, incluindo cartões de crédito e propriedade intelectual.

A NetWitness afirmou ao WSJ que o ataque ainda está em andamento e que não está clara nem a quantidade de dados roubados nem a forma como eles serão usados.

Um infográfico no site do jornal mostra os 4 passos da ação dos “hackers” (termo usado pela reportagem):

1) Os “hackers” incitam internautas a clicar em sites contaminados por vírus ou a abrir arquivos anexados em e-mails

2) Os usuários abrem o arquivo ou acessam o site, afetando sua máquina

3) Informações do usuário são coletadas, seja quando ele digita seus dados em um formulário [falso] na web, seja quando o arquivo aberto infecta sua máquina

4) O software de roubo de dados pede uma revisão das informações periodicamente, permitindo que os “hackers” se mantenham atualizados

Leia reportagem no site do Wall Street Journal (em inglês)

Veja infográfico explicando o ataque de ‘hackers’ (em inglês)

publicidade

publicidade

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.