As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Bolsa de Londres recupera patamar anterior ao estouro da crise

Carla Miranda

29 de dezembro de 2009 | 16h30

A bolsa de valores de Londres subiu 0,65% nesta terça-feira e fechou aos 5.437 pontos, recuperando o patamar verificado em 12 de setembro do ano passado, último dia útil antes da quebra do banco norte-americano Lehman Brothers.

Entre os três principais mercados europeus – incluindo Paris e Frankfurt – o de Londres é o primeiro a retomar o nível pré-Lehman.

A declaração de concordata do Lehman, anunciada em 15 de setembro do ano passado, foi um importante marco da crise financeira internacional. Depois desse dia, iniciou-se no mundo uma onda de venda generalizada de ações. No caso de Londres, até ontem o mercado ainda não havia se recuperado da queda.

Em 12 de setembro de 2008, a bolsa de Londres fechou aos 5.416 pontos. A partir do pregão seguinte, iniciou um período de forte instabilidade até atingir, em 9 de março deste ano, o pior nível da atual crise, aos 3.542 pontos, ou seja, uma queda de 34,6% em relação ao patamar pré-Lehman.

Já a Bolsa de Paris fechou nesta terça aos 3.959 pontos, número ainda 8,6% inferior aos 4.332 pontos registrados em 12 de setembro do ano passado. A de Frankfurt encerrou o dia com pontuação 3,6% abaixo da verificada no pregão anterior à quebra do Lehman.

No Brasil, a Bolsa de Valores de São Paulo (Bovespa) retomou o patamar pré-Lehman em 28 de maio deste ano, ao fechar com 53.040 pontos. Atualmente na faixa dos 68.100 pontos, o mercado brasileiro está 30% acima do verificado em 12 de setembro do ano passado.

No caso dos Estados Unidos, onde a crise começou, o índice Dow Jones ainda está 8% abaixo do nível pré-Lehman.

Os dados foram obtidos por meio do site do Wall Street Journal.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.