As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

CCR, de rodovias, prepara-se para o setor de aeroportos

Empresa trabalha para o caso de as licitações em aeroportos valerem a pena

Carla Miranda

26 de janeiro de 2011 | 16h11

Enquanto o país discute uma forma de tornar a gestão dos aeroportos mais eficiente, a CCR, uma das maiores empresas de concessão de rodovias do mundo, já se prepara para a possibilidade de começar a atuar no setor aeroportuário, caso o governo decida por transferir à iniciativa privada a administração dessas empresas, hoje controladas pelo Estado.

A informação de que a CCR se prepara para atuar nessa área foi dada pelo diretor-presidente da companhia, Renato Vale, em entrevista ao site da Rio Bravo Investimentos.

Vale fala da forma mais cuidadosa possível – pois empresas com ações na bolsa de valores têm regras rígidas para divulgar informações  que possam mexer com o valor dos papéis –, mas fica claro que a empresa está de olho no setor.

“Os aeroportos hoje não estão dentro do foco da CCR. […] Apesar dos aeroportos não estarem no nosso foco, nós fomos orientados por eles a começar a colocar o tema no radar, e nos prepararmos para eventualmente esse escopo de trabalho ser passado para a CCR. E que nós estamos fazendo? Estamos trabalhando, monitorando o sistema, tentando acompanhar o que está vindo aí em termos de investimento de tal forma que, se este assunto for passado para a CCR, já estamos preparados para desenvolver. Mas hoje, não está na nossa alçada.”

Ou seja, a empresa não tem um projeto formal (até porque não há licitações em andamento), mas está se preparando.

Atualmente, ela opera a CCR Rio-Niterói, a NovaDutra, os Sistemas Anhangüera Bandeirantes e Castello Branco-Raposo Tavares e a Linha 4 do Metrô de São Paulo. Na entrevista, Vale também fala sobre o potencial de expansão internacional e no setor metroviário.

Ouça a entrevista no site da Rio Bravo

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.