Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Com crise nos EUA, até igrejas perdem imóveis

Elas se endividaram para crescer, mas fiéis cortaram doações e causaram problemas

Carla Miranda

27 de março de 2012 | 07h00

Atualizado às 10h24

igreja_eua_antioch_church_family_san_francisco_chronicle_reproducao.JPG

Algumas igrejas, assim como muitas famílias, perderam templos por causa da crise no mercado imobiliário, informa o jornal “San Francisco Chronicle“.

Somente no Estado da Califórnia, mais de 800 propriedades de igrejas foram submetidas em algum momento a um processo de execução hipotecária, ainda que nem todos tenham culminado na entrega do imóvel. Nos últimos três meses, 14 propriedades de instituições religiosas foram entregues a bancos ou a outros por impossibilidade de pagamento de dívida.

O jornal conta que os bancos aumentaram os limites de empréstimos para as igrejas durante o momento de bonança na economia dos EUA, assim como fizeram com as famílias. Muitos líderes religiosos aproveitaram essa oportunidade para expandir suas igrejas, uma vez que as doações dos fiéis eram crescentes.

Muitos fiéis, no entanto, foram afetados pela crise e cortaram as doações às igrejas, que por sua vez passaram a ter problemas.

A Antioch Church Family, por exemplo, comprou um imóvel de US$ 3,5 milhões em 2007, que incluía quatro quartos para abrigar sem-teto e um espaço para receber pessoas em um programa de assistência alimentar.

A igreja pagava religiosamente todas as prestações, de US$ 23 mil, até 2009, “quando a situação econômica começou a mudar”, afirmou ao “San Francisco Chronicle” o pastor responsável.

O emprestador permitiu que a igreja suspendesse o pagamento por 18 meses. Mas depois desse período, ainda restava uma dívida de US$ 3,2 milhões, sendo que, por causa da crise, o preço do imóvel havia caído para US$ 1,7 milhão. A igreja não conseguiu o refinanciamento da dívida, e o banco entrou com um processo de execução hipotecária em março de 2011.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: