As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Crise da Grécia se espalha como vírus Ebola, diz OCDE

Diretor da entidade diz que 'contágio já aconteceu' e é preciso agir

Carla Miranda

28 de abril de 2010 | 12h32

Atualizado às 12h42

A OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico) afirmou que a Alemanha precisa se juntar aos demais países da zona do euro para estancar a crise da Grécia, que está, segundo a entidade, espalhando-se como o vírus Ebola. A afirmação, do secretário geral da instituição, Angel Gurria, foi publicada nos principais sites noticiosos internacionais.

 “Não é uma questão de perigo de contágio; o contágio já aconteceu”, afirmou Gurria, conforme relatou o site da revista BusinessWeek. “É como Ebola. Quando você percebe que o contraiu, você tem que cortar fora sua perna para sobreviver”, acrescentou.

O site do jornal britânico Telegraph informa que o ministro das Finanças, Alistair Darling, conclamou os países da zona do euro a chegarem a um acordo “urgentemente” sobre a ajuda à Grécia, para evitar o risco de uma queda maior nos mercados de ações. Mas o próprio Darling diz que as “responsabilidades primárias” são dos países da zona do euro, do qual o Reino Unido não faz parte.

A OCDE já foi chamada de “clube dos países ricos”. Trata-se de uma entidade fundada em 1961, em Paris, que reúne países desenvolvidos, mas entre seus 30 membros inclui o México – e já flerta com o Brasil. A instituição tem o objetivo de apoiar o desenvolvimento econômico sustentável entre seus membros e assistir nações de fora do grupo.

Leia a reportagem sobre a ‘crise Ebola’ no site da BusinessWeek (em inglês)

Leia a reportagem do Telegraph sobre Darling (em inglês)

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.