As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Economist: Marina, a ‘outra Silva’, tem ‘princípios demais’

Para revista, salvar o planeta não é prioridade para os brasileiros

Carla Miranda

22 de abril de 2010 | 15h32

marina_silva_ae_andre_dusek_13042010.jpg
PERFIL: ‘Nascida e criada verde’, diz ‘Economist’ (foto: André Dusek/AE)

A revista britânica The Economist na edição desta semana traz um breve perfil da pré-candidata à Presidência do Brasil Marina Silva. O texto diz que ela “tem princípios demais” para disputar uma eleição e acrescenta que os 10% que ela tem em pesquisas de intenção de voto “não são ruins, dado que muitos brasileiros, como eleitores de outros países, não consideram a salvação do planeta uma prioridade”.

“Ocasionalmente, desponta um político que parece ter princípios demais para ser atirado em uma luta de cães eleitoral em uma democracia gigante. Marina Silva, a candidata do pequeno Partido Verde nas eleições presidenciais do Brasil em outubro, é esse tipo de candidata. O que lhe falta em termos de máquina partidária ela tenta cobrir com força ética”, diz o início da reportagem.

O texto, intitulado “Uma outra Silva” (“Another Silva”), aborda rapidamente a biografia de Marina, de sua infância pobre na Amazônia, com 11 irmãos dos quais apenas 8 sobreviveram além da infância. A legenda da foto diz: “Nascida e criada verde”.

A revista lembra que ela esteve entre os fundadores do PT, junto com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, foi ministra do Meio Ambiente desde 2003 e saiu do governo em 2008.

Leia a reportagem no site da revista The Economist (em inglês)

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.