As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Entre os Brics, só o Brasil reduz a desigualdade, diz OCDE

Entidade comparou a concentração de renda nos países nas últimas duas décadas

Carla Miranda

14 de dezembro de 2011 | 08h29

alcides_leite01.jpgPor Alcides Leite*

A OCDE (Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico), que reúne 34 países, em sua  maioria desenvolvidos, lançou um documento intitulado “Divided We Stand: Why Inequality Keeps Rising” (“Estamos Divididos: Por que a Desigualdade Continua Crescendo”), analisando as principais causas do crescimento da desigualdade de renda no mundo.

Em um capítulo dedicado aos principais países em desenvolvimento, o documento compara o desempenho de Brasil, Argentina, China, Índia, África do Sul, Rússia e Indonésia nas duas últimas décadas, em relação aos resultados das políticas de redução da concentração de renda. O documento ressalta que, dos chamados Brics (Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul), somente o Brasil conseguiu reduzir a desigualdade de renda da população durante os últimos 20 anos. Nos demais, o problema cresceu. Mesmo assim, a desigualdade  de renda no Brasil ainda é maior do que na Rússia, na China e na Índia. Já a África do Sul está em situação pior que o Brasil.

O principal motivo da redução da desigualdade no Brasil, apontado pelo relatório, é o investimento que o setor público tem feito nos principais programas sociais. Segundo o documento, o País é o que tem mais gastos sociais como proporção do PIB, entre os Brics.

Recomendo a leitura do documento que está disponível na página da OCDE na internet, em inglês, francês e espanhol.

—-

* Alcides Leite, professor de economia da Trevisan Escola de Negócios e analista-inspetor concursado do Banco Central, é colaborador do Radar Econômico.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.