As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

EUA querem testar novo ‘circuit breaker’ em junho

Sistema de suspender operações na bolsa valerá para ações isoladas

Carla Miranda

18 de maio de 2010 | 17h56

As bolsas de valores dos Estados Unidos e as autoridades de regulação do mercado financeiro planejam iniciar no dia 14 de junho o novo sistema de “circuit breaker” (sistema que suspende o funcionamento do pregão automaticamente quando a queda é forte), informa o site do Wall Street Journal. O diário diz ter obtido o dado com pessoas ligadas à negociação.

A iniciativa é uma resposta ao pânico que marcou o dia 6 de maio e ficou conhecido como “flash crash”. Na ocasião, o índice de referência da bolsa de Nova York, o Dow Jones, caiu mais de 9% em questão de segundos. A explicação até agora é de que houve um erro; autoridades dos EUA estão investigando.

O problema é que, após o erro, muitos outros investidores venderam seus papéis automaticamente, levando a bolsa para uma queda cada vez maior, sem um motivo ligado diretamente às empresas ou à conjuntura. Atualmente, segundo o New York Times, entre 40% e 70% dos negócios com ações nos EUA são feitos automaticamente, em que o investidor deixa sua ferramenta eletrônica programada para comprar ou vender determinados papéis quando a cotação atinge um certo limite.

O plano dos reguladores e das bolsas é que novo circuit breaker seja acionado primeiro para ações específicas que caírem mais de 10% (atualmente, o sistema vale apenas para o índice, não para papéis isolados).

Também está em discussão o desenvolvimento de um mecanismo que permita mais facilmente cancelar negócios realizados, segundo o jornal.

Leia a reportagem no site do Wall Street Journal (em inglês)

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.