Euro custa mais do que vale, reclamam deputados da Itália

bolha

Paulo Bilyk: "Quem está comprado em 4 ou 5 ações corre risco grande de perder tudo"

As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Euro custa mais do que vale, reclamam deputados da Itália

Deputados italianos de esquerda querem rever o custo de fabricação da moeda

Gustavo Santos Ferreira

06 de novembro de 2013 | 13h45

Colaboração especial de Carlo Cauti

Moção apresentada no Parlamento italiano aponta que as moedas de 1, 2, e 5 centavos de euros têm custo de produção superior ao poder de compra – mostra o Corriere della Sera. O debate foi apresentado por deputados italianos do partido Esquerda, Ecologia e Liberdade (SEL, na sigla em italiano). Eles querem rever o custo de fabricação do dinheiro.

“Fabricar uma moeda de um centavo custa 4,5 centavos de euro, os custos para produzir moedas de dois centavos são 5,2 centavos de euro e os para as moedas de cinco centavos são 5,7 centavos de euro”, salientaram os deputados no documento.

Segundo o levantamento realizado pelos políticos, desde a introdução da moeda única europeia, em 2001, a Casa da Moeda italiana teria produzido 2,8 bilhões de moedas de um centavo de euro, 2,3 bilhões de moedas de dois centavos e 2 bilhões de moedas de cinco centavos. No total, o valor real das peças foi de 174 milhões de euros, mas, ao mesmo tempo, a produção gerou custo total de 362 milhões de euros, com prejuízo líquido de 188 milhões de euros.

Além da perda para os cofres públicos, as moedas de um, dois e cinco centavos de euros representam incômodo para a população, que, em razão do valor irrisório, chega frequentemente a se desfazer dos trocados para não ter pesos excessivos nos bolsos. Em muitas ruas de cidades europeias é comum encontrar centavos de euros jogados no chão.

Em alguns países da Europa, como Finlândia e Holanda, a circulação de moedas de um e dois centavos de euros foi abolida e os preços foram arredondados.

De acordo com a Comissão Europeia, o principal obstáculo para a abolição dos trocados seria psicológico. A retirada dos centavos representaria “risco de inflação, por causa das reações negativas geradas pelo arredondamento dos preços”.

Tudo o que sabemos sobre:

Corriere della SeraEuro

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: