As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Ex-premiê espanhol fala de crise e faz gesto obsceno

Aznar responde com a mão manifestações de estudantes em faculdade

Carla Miranda

18 de fevereiro de 2010 | 17h28

Atualizado às 18h

aznar_reuters_ivan_martinez_18022010__.jpg

 

 

 

 

 

Foto: Ivan Martinez/Reuters

O ex-primeiro-ministro espanhol José María Aznar participou de uma conferência sobre a crise financeira, na Faculdade de Economia da Universidade de Oviedo, e, na saída, respondeu manifestações de estudantes com um gesto obsceno. A foto foi publicada com destaque no site do jornal El País.

Na conferência, Aznar provocou o atual premiê, José Luis Rodríguez Zapatero, ao afirmar que “o chefe dos incendiários não pode ser nunca o capitão dos bombeiros”. Ele acrescentou que Zapatero “não tem autoridade moral nenhuma” para enfrentar a crise porque “fundiu o país”.

Segundo El País, Aznar foi chamado de “fascista”, “assassino” e “terrorista” por estudantes. Quando chefe de governo, ele apoiou a guerra no Iraque e, em 2004, afirmou que os ataques terroristas que mataram 191 pessoas em Madri eram de autoria do grupo separatista ETA, mesmo após fortes evidências (e posterior confirmação) de que os atentados  tinham relação com extremistas islâmicos.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.