As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Facebook, do garoto Zuckerberg, está ficando adulto

Rede social está prestes a contratar alta executiva da Microsoft

Carla Miranda

16 de fevereiro de 2011 | 11h44

Atualizado às 15h48

O Facebook, maior rede social online do mundo, ainda é muito associado à imagem do bilionário moleque de camiseta e chinelo estilo Rider, o Mark Zuckerberg, dono da empresa. Mas isso está mudando. Não o chinelo do garoto, e sim a cara dos altos executivos do Facebook.

Como registrou o blog irmão Radar Tecnológico, Zukerberg está prestes a contratar Carolyn Everson, a vice-presidente mundial de vendas da engravatada Microsoft.

Dias antes, Zuckerberg “tomou” do Google o Alexandre Hohagen. Hohagen trabalhou no UOL e, mais tarde, tornou-se o responsável pelo Google no Brasil. Não demorou para virar diretor da empresa na América Latina. Foi na administração dele que o Orkut ascendeu à sua fase áura – e até hoje é líder entre as redes sociais no Brasil, e só no Brasil, entre os países com grande mercado de internet.

Diferentemente de Zuckerberg, Hohagen não tem o estilo “nerd louco por computador”. É um administrador de empresas consagrado e maduro, apesar de jovem. Além do UOL, passou por empresas como ABN Amro, Boehringer Ingelheim e Dow Chemical do Brasil.

Veja três caras do Facebook:

zuckerberg_reuters_kimberly_white_17102007_1.JPG
Zuckerberg em debate sobre internet 
Foto: Kimberly White/Reuters

alexandre_hohagen_ae_andre_duzek_09042008.JPG
Alexandre Hohagen, quando ainda estava no Google
Foto: André Duzek/AE

carolyne_everson_divulgacao.jpg
Carolyn Everson, da Microsoft, agora a um passo de ir para o Facebook
Foto: Microsoft/Divulgação

Skate no escritório

Um vídeo mostra um pouco do clima no escritório no Facebook, com um funcionário andando de skate em determinado momento (clique aqui).

Outro vídeo também mostra um jovem andando de skate em um escritório. Quem o colocou no Youtube diz que a cena ocorre na sede do Facebook. Leitor, aqui gostaria de fazer uma “licença jornalística”: excepcionalmente, publico um vídeo de cuja autenticidade desconfio (não consegui checar ainda; a própria assessora de imprensa do Facebook disse que não conseguia saber se era mesmo lá na sede  ou não). 

Com o aviso explícito de que não sei se é mesmo verdadeiro, sigo desta vez a máxima: “Se a lenda é mais interessante que o fato, publique-se a lenda”. Enfim, o fato já está comprovado no vídeo anterior, o de que se anda de skate no Facebook. Abaixo, a lenda.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.