‘Fortune’: Graça Foster é a executiva mais poderosa fora dos EUA
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

‘Fortune’: Graça Foster é a executiva mais poderosa fora dos EUA

Ela aparece em primeiro lugar em lista elaborada pela revista americana

Carla Miranda

20 de setembro de 2012 | 22h22

graca_foster_ae_marcos_de_paula_blog.jpg

A presidente da Petrobrás, Maria das Graças Foster (foto), foi apontada pela revista americana Fortune como  executiva mais poderosa fora dos Estados Unidos. Ela foi considerada mais influente do que executivas como Barbara Kux, da Siemens (Alemanha), e Cynthia Carroll, da Anglo American (Reino Unido).

A revista publica dois rankings separadamente, o das mulheres de negócios que trabalham nos EUA e o das que atuam em outros países, cada um com 50 pessoas. Na lista global, aparece mais uma executiva que atua no Brasil, a americana Grace Lieblein, presidente da subsidiária da General Motors no País.

No ranking dos EUA, a primeira é Ginni Rometty, da IBM, seguida pela indiana Indra Nooyi, da Pepsico, e Meg Whitman, da Hewlett-Packard. A apresentadora de televisão Oprah Winfrey aparece na 50ª posição.

A revista destacou Graça Foster na lista das 13 mulheres em ascensão. A publicação lembrou que “Graças lidera a maior produtora de petróleo em águas profundas do mundo, com receitas de US$ 146 bilhões, 84 mil empregados e uma produção de 2,6 milhões de barris de petróleo por dia”. E acrescentou que a empresa tem um plano de investir US$ 236,5 bilhões em cinco anos e um projeto para mais do que dobrar a produção de petróleo, para 5,7 milhões de barris diários, até 2020.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.