As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

‘FT’: brasileiro deixa de ser gastador e resultado do PIB vai atordoar o governo

Crescimento do Brasil no primeiro trimestre foi decepcionante, diz o jornal

nayarasampaio

29 de maio de 2013 | 13h35

Fernando Nakagawa, correspondente em Londres

O consumidor brasileiro deixou de ser gastador e passou a ser mais conservador. Essa mudança de comportamento desacelerou a demanda interna, o que afetou negativamente o ritmo da economia no primeiro trimestre de 2013. A análise é do jornal britânico Financial Times.

Em reportagem na edição eletrônica, a publicação avalia o crescimento brasileiro no primeiro trimestre como “decepcionante” e destaca que o número vai “atordoar” um governo já preocupado com o fraco crescimento da economia.

“A economia do Brasil não atingiu as previsões de crescimento no primeiro trimestre uma vez que os consumidores perdulários do País tornaram-se cautelosos”, diz o texto assinado por Joe Leahy, chefe da sucursal do FT em São Paulo.

Segundo a reportagem, “o resultado frustrante vai atordoar o governo, que já fez todo o esforço possível para tentar acelerar o crescimento e recolocar o Brasil como um dos membros mais dinâmicos do clube Brics de grandes países emergentes”.

A reportagem lembra que o Brasil anunciou uma série de medidas recentemente, como a redução de impostos no setor elétrico ou o incentivo ao crédito dos bancos públicos para tentar aumentar o gasto dos consumidores – “que foi o principal motor da economia na década passada”, diz o texto.

Para o FT, a agricultura foi o item “brilhante” do resultado do PIB ao apresentar expansão de 9,7% na comparação com o trimestre anterior. Sobre o investimento na economia, o FT diz que houve “um pequeno aumento” e a Formação Bruta de Capital Fixo subiu 4,6% na comparação trimestral.

VEJA TAMBÉM

ESPECIAL: PIB brasileiro cresce 0,6% no 1º trimestre

Governo não pretende adotar novos estímulos ao consumo, diz Mantega

 

Tudo o que sabemos sobre:

2013brasilFinancial TimesFTPIB

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.