As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Glaxo pagará US$ 750 mi por vender droga com problema

É o quarto maior acordo entre o governo e uma farmacêutica, diz jornal

Carla Miranda

27 de outubro de 2010 | 12h40

A GlaxoSmithKline, gigante da indústria farmacêutica, aceitou pagar US$ 750 milhões para encerrar processos criminais e civis, após ser constatado que a empresa vendeu 20 medicamentos de segurança duvidosa ao longo de anos, reporta o jornal “The New York Times”.

Segundo a reportagem, a companhia tinha conhecimento de que vendia pomadas para bebês contaminadas e antidepressivos ineficazes.

Entre as drogas com problema estavam:

– Paxil / antidepressivo;

– Bactriban / pomada para bebê;

– Avandia / remédio para diabetes;

– Coreg / para o coração;

– Tagamet / para refluxo gástrico.

Não há casos registrados de pacientes que tenham ficado doentes por causa dos medicamentos, uma vez que isso “é muito difícil de constatar”, segundo o jornal. Mas processos recentes concluíram que pacientes foram lesados e que governos federal e estaduais foram defraudados ao gastar dinheiro com essas drogas.

Segundo o “Times”, esse foi o quarto maior acordo entre governo e farmacêutica por venda de medicamentos com problemas. Sem setembro de 2009, a Pfizer pagou US$ 2,3 bilhões ao governo; em janeiro do ano passado, a Eli Lilly fechou acordo de US$ 1,4 bilhão; em 1º de outubro de 2010, a TAP Pharmaceuticals aceitou pagar US$ 875 milhões.

Leia a reportagem no site do “New York Times” (em inglês)

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.