As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Google tenta driblar censura na China e ‘refugia-se’ em Hong Kong

Acessos na China são redirecionados para página de Hong Kong

Carla Miranda

22 de março de 2010 | 16h42

Atualizado às 16h56

Após problemas com o governo Chinês, o Google anunciou que parou de censurar os resultados das buscas do seu serviço em chinês.

O blog oficial da empresa afirma, nesta segunda-feira, que os internautas que tentarem acessar o site hospedado na China (http://www.google.cn) serão todos redirecionados para o serviço localizado em Hong Kong (http://www.google.com.hk), que opera sem censura. A página de Hong Kong, “em um chinês simplificado” foi pensada “especificamente para usuários da China continental”.

Quando entrou na China, em 2006, o Google aceitou a censura em seu serviço de buscas. No entanto, no começo deste ano, aumentaram os desentendimentos entre a empresa e o governo chinês. No dia 12 de janeiro, a empresa disse que foi alvo de “um sofisticado ciberataque originado na China”, em que contas de e-mails do serviço Gmail (do Google) pertencentes a ativistas de direitos humanos vinham sendo invadidas “rotineiramente”.

Nos últimos dias, aumentou-se a especulação de que o Google fecharia seu serviço de buscas hospedados na China. No texto publicado no blog nesta segunda-feira, a companhia diz que o redirecionamento para Hong Kong foi “uma solução sensata” para o problema, “inteiramente legal” e que vai “aumentar significativamente o acesso à informação para pessoas na China”.

Leia o texto no blog oficial do Google (em inglês)

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.