As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Google perde cada vez mais espaço na China, diz estudo

Fatia de mercado do site de buscas caiu de 27% para 24% em três meses

Carla Miranda

19 de outubro de 2010 | 15h56

Enquanto o Google se consolida como líder disparado entre os sites de busca no Ocidente, na China a empresa vê sua fatia de mercado encolher cada vez mais, segundo uma pesquisa da empresa chinesa iResearch, divulgada no site do “Financial Times”.

A participação do Google no mercado de buscas pela internet era de 27,3% no segundo trimestre, e agora caiu para 24,6% no terceiro quarto do ano.

O “Financial Times” atribui essa queda ao processo de reestruturação da rede de distribuição do Google no país asiático. A reestruturação se tornou necessária depois que a empresa entrou em conflito com o governo local.

Quando se instalou no país asiático, o Google aceitou o pedido de autoridades para censurar as buscas. No final do ano passado, no entanto, a empresa notou que contas do Gmail (serviço de e-mails do Google) de ativistas de direitos humanos estavam sendo violadas.

Na ocasião, o Google ameaçou sair do País e redirecionou para o Google.hk (não censurado) os acessos ao Google.cn (censurado). O governo chinês não aprovou essa tentativa de driblar a censura e ameaçou não renovar o contrato com a empresa. No fim das contas, a empresa terminou contratos que tinha com sete empresas de Xangai que distribuíam anúncios do Google havia quatro anos. A empresa agora está indo atrás de outros distribuidores.

O “Financial Times” ouviu analistas segundo os quais esse problema na China deve ter “algum impacto” na receita da matriz, nos EUA. Juntas, as sete empresas com que o Google mantinha contrato na China davam à companhia uma receita de US$ 22,5 milhões.

Leia a reportagem no site do “Financial Times” (em inglês)

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.