As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Grécia prevê queda de 70% no nível de vida com o fim do euro

Premiê diz que 'Grexit' significaria um 'pesadelo geopolítico' na Europa

Carla Miranda

24 de agosto de 2012 | 07h00

antonis_samaras_reuters_John_Kolesidis.jpg

O nível de vida da população da Grécia cairá 70% se o país deixar de usar o euro, disse o primeiro-ministro grego, Antonis Samaras, em entrevista ao jornal francês Le Monde. Para ele, seria um “pesadelo geopolítico” que atingiria toda a Europa.

Veja o cenário que ele diz prever em caso de o país sair da zona do euro:

Le Monde: Parte dos europeus defendem que o problema da Grécia seja resolvido por meio da expulsão do país da zona do euro. Como evitar isso?

Antonis Samaras: Uma “Grexit”, como tem sido chamada, seria devastadora para a Grécia e prejudicial para a Europa. Isso se traduziria em uma nova queda de 70% no nosso nível de vida – que já recuou 35% – pela ação combinada de uma desvalorização (cambial) e da inflação. Nenhuma sociedade pode suportar um choque como esse. Nenhuma democracia pode sobreviver.

As convulsões sociais poderiam ser contagiosas para outros países europeus. Combinada com a instabilidade no Oriente Médio, essa situação poderia se tornar um pesadelo geopolítico que extrapolaria as fronteiras gregas. Some-se a isso a reação dos mercados financeiros, que antecipariam a saída de outros países europeus, provocando um efeito dominó.

Se nós fazemos tudo para continuar com o euro e formos abandonados pelos nossos parceiros, isso seria dramático para o senso de solidariedade que caracteriza a nossa União Europeia. Opondo-me à Grexit, eu não protejo apenas o meu país, eu defendo a nossa União e os nossos valores.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.