As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Lula quer ‘sonho americano’ no Brasil, diz revista Time

Michael Moore diz que Brasil se aproxima de 1º Mundo, e EUA, de 3º

Carla Miranda

29 de abril de 2010 | 12h04

Atualizado às 18h12

A revista Time, que escolheu o presidente Luiz Inácio Lula da Silva como o principal destaque entre os líderes mais influente do mundo, afirma que o chefe do governo brasileiro quer aplicar no País o que a população dos Estados Unidos chama de “sonho americano”. O texto é do cineasta Michael Moore, que aproveitou a ocasião para abordar dois assuntos presentes em seus filmes: a saúde e o capitalismo.

LISTA COMPLETA
 Conheça as pessoas mais influentes do mundo na opinião da revista Time

“O que Lula quer para o Brasil é o que nós costumávamos chamar de “sonho americano. Nós, nos EUA, ao contrário, onde a parcela de 1% dos mais ricos agora tem mais riqueza financeira do que 95% das pessoas juntas, estamos vivendo em uma sociedade que rapidamente está ficando muito mais parecida com o Brasil”, afirma o texto, assinado pelo cineasta Michael Moore.

Diretor do documentário “Sicko – S.O.S Saúde”, Moore procura nesse mesmo tema a explicação para a decisão de Lula de entrar para a política, e cita um trecho da biografia do presidente brasileiro registrada no documentário “Lula, o filho do Brasil”:

RADAR ECONÔMICO NO TWITTER
Acompanhe: @radar_economia
http://twitter.com/radar_economia

“O que levou [Lula] à política em primeiro lugar? […] Foi quando, com 25 anos de idade, ele viu sua mulher Maria morrer aos oito meses de gravidez, junto com o filho, porque eles não tinham acesso a um sistema de saúde decente”, afirma Moore.

O cineasta, que lança o filme “Capitalism: a love story”, acredita que Lula deixa “uma lição para os bilionários do mundo: permitam que as pessoas tenham bom atendimento à saúde, e elas causarão muito menos problemas a vocês”. Moore diz que, para os norte-americanos, a “grande ironia da presidência de Lula” está no fato de que ele tentou reduzir a pobreza do Brasil e transforma o País em uma nação de Primeiro Mundo, enquanto os EUA “a cada dia se parecem mais com o Terceiro Mundo”.

As pessoas mais influentes do mundo são escolhidas pelo grupo de editores da Time, após uma conversa com os correspondentes da revista no exterior. Tendo uma primeira versão da lista de nomes, os jornalistas falam com personalidades que têm alguma ligação com as atividades dos escolhidos. Depois, dividem os eleitos em categorias: Líderes, Artistas, Pensadores e Heróis.

A Time também promove uma uma votação popular pela internet (que ainda está em aberto), na qual Lula está na 47ª posição, com 8.415 votos.

Leia o texto de Moore na revista Time (em inglês)

Veja mais informações sobre o ranking da Time

Correção: Lula aparece como o principal destaque da lista dos líderes mais influentes do mundo da revista Time, e não como o líder mais influente. O erro foi corrigido neste texto às 18h12

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.