As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Mais uma revista desaconselha compra do novo iPhone 4

Parecer é de publicação francesa de entidade de defesa do consumidor

Carla Miranda

28 de julho de 2010 | 16h29

steve_jobs_ap_paul_sakuma_16072010_02.JPG
Jobs diz que ‘Antennagate’ não atinge só o iPhone, há duas semanas (foto: Paul Sakuma/AP)

Depois de a revista norte-americana Consumer Reports publicar uma reportagem dizendo que não recomenda comprar o iPhone 4 – o maior lançamento da história da Apple –, agora é o periódico francês Que Choisir que “desaconselha a aquisição do produto”.

—-
Siga o Radar Econômico no Twitter: @radar_economia
—-

“O iPhone 4 sofre de problemas de antena. Apesar da boa performance em outros critérios, essa falha nos impede de aconselhar este smartphone aos consumidores”, afirmou a Que Choisir.

ECONOMIA NO FACEBOOK
Visite a página de Economia do Estadão no Facebook, clique em ‘curtir’ e receba notícias como esta http://www.facebook.com/economiaestadao

A Consumer Reports é uma das revistas de economia mais lidas dos Estados Unidos, tida por muitos norte-americanos como um guia confiável de consumo.

Ela testou o aparelho e confirmou uma falha na antena, da qual os usuários já reclamavam desde o lançamento.

O jornal Le Monde escreve que a Que Choisir é a publicação francesa equivalente à Consumer Reports e é editada pela UFC, uma entidade de defesa do consumidor. Basicamente, os dois periódicos citaram o mesmo problema do iPhone 4: falha de sinal telefônico quando o usuário segura o aparelho de determinada maneira.

Mas a reportagem do periódico parisiense, neste momento, tem um significado a mais: diferentemente do texto da Consumer Reports, ela foi publicada depois de o presidente da Apple, Steve Jobs, anunciar uma tentativa de solucionar – ou ao menos amenizar – o problema.

Jobs prometeu distribuir pequenas capas protetoras que ajudam a contornar a falha da antena. Se os consumidores permanecerem insatisfeitos, podem pegar o dinheiro de volta.

Leia a reportagem na revista Que Choisir (em francês)

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.