McDonald’s do Japão tem racionamento de batata frita
As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

McDonald’s do Japão tem racionamento de batata frita

Crise do tubérculo ocorre logo após o 'apagão de manteiga' nos supermercados, que fez com que venda do produto fosse limitada a uma barra por pessoa, desde que o freguês encontrasse alguma nas prateleiras

Economia & Negócios

17 Dezembro 2014 | 11h50

Falta de batatas fritas ocorre após escassez de manteiga (Foto: Reuters)

Falta de batatas fritas ocorre após escassez de manteiga (Foto: Reuters)

THE WASHINGTON POST

TÓQUIO – Já sofrendo com a escassez de manteiga, o Japão é agora afetado por outra crise alimentar: o McDonald’s está ficando sem batatas fritas, e vai iniciar o racionamento dessa fritura crocante.

Não há como exagerar nas porções aqui. A partir de quarta feira, os fregueses só poderão comprar as fritas pequenas com seus pedidos, que incluem no Japão variedades como hambúrgueres de croquete e gurakoro, uma mistura de camarão, macarrão e queijo.

A razão da escassez? Disputas trabalhistas nos portos da Costa Oeste dos Estados Unidos estão segurando os carregamentos. Como resultado, apenas 55% do volume mensal médio de batatas fritas deve ser importado para o Japão em dezembro, de acordo com reportagem do Asahi Shimbun.

Um anúncio em letras vermelhas no site japonês da rede de fast-food alerta aos fregueses que a dificuldade em obter um suprimento constante de batatas fritas levou a cadeira a adotar essa posição. “Trata-se de uma medida que decidimos adotar porque corremos o risco de ficarmos sem batatas fritas. Pedimos desculpas ao consumidor pelo inconveniente”, disse um funcionário da empresa à Kyodo News.

País importa batatas de avião, mas encomendas internacionais só chegarão no fim de janeiro (Foto: Reuters)

País importa batatas de avião, mas encomendas internacionais só chegarão no fim de janeiro (Foto: Reuters)

As promoções que costumam incluir uma porção média de fritas terão corte de US$ 0,40 no preço, e o McDonald’s não estabeleceu limites para o número de porções pequenas que um freguês pode pedir. Ainda não há notícia a respeito do impacto da medida em outro produto oferecido pelo McDonald’s no mercado japonês: as clássicas fritas com queijo Quattro.

Com os grandes portos americanos de Los Angeles, San Francisco, Portland e Seattle enredados numa disputa contratual, o McDonald’s recorreu a medidas emergenciais: batatas congeladas são transportadas pelo ar – mil toneladas – e já foi feito um pedido de mais 1.600 toneladas que virão dos portos da Costa Leste. Entretanto, essas batatas só chegarão ao país no final de janeiro.

E a rede de restaurantes Gusto, voltada para as famílias, solicitou o envio de aproximadamente 200 toneladas de batatas fritas por via aérea para evitar que o artigo se esgotasse.

Mas essas medidas não serão suficientes para atender a demanda japonesa por batatas americanas. Como informou a Reuters, o Japão é o maior mercado asiático para produtos americanos congelados feitos com batatas.

A crise das batatas fritas de 2014 ocorre logo após um episódio de escassez de manteiga que fez com que as vendas desse artigo fossem limitadas para uma barra por pessoa, desde que o freguês consiga encontrar manteiga nas prateleiras. Essa escassez é resultado de um verão particularmente quente, que deixou as vacas japonesas exaustas e incapazes de produzir o volume habitual de leite.

Mas não precisamos sentir pena dos japoneses. Nada indica que o país venha a sofrer com a escassez de sushi fresco nem macarrão./Tradução de Augusto Calil

 

Leia também:

Japão enfrenta ‘apagão de manteiga’

Japão adota política do ‘ou vai ou racha’ contra acrise

Burger King japonês lança terceira geração de hamburger preto