coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

‘NYT’ tem lucro 90% menor no primeiro trimestre

Companhia está se reformulando dianta da queda da publicidade

nayarasampaio

26 de abril de 2013 | 09h43

NYTimes_GaryHershornReuters.JPG

Para recuperar o crescimento, a companhia planeja novos modelos de assinatura com preços mais baixos. Foto: Gary Hershorn/ Reuters

Christine Haughney  – THE NEW YORK TIMES

A New York Times Company informou ontem um declínio do lucro líquido no primeiro trimestre do ano, enquanto seus executivos continuam o reposicionamento da empresa em um veículo global para a era digital. Entre as atuais mudanças do setor, a companhia anunciou também planos de introdução de modelos de assinaturas a preços inferiores, como parte de uma estratégia de crescimento mais ampla que foi detalhada ontem.

A companhia está se reformulando por causa das dificuldades registradas na publicidade impressa e online. No primeiro trimestre, o lucro líquido foi de US$ 3,1 milhões em comparação a US$ 42,1 milhões no mesmo período do ano passado.

Veja também:

‘New York Times’ investe em novos produtos no mercado digital 

O total da receita no trimestre declinou 2% para US$ 465,9 milhões. No geral, a receita da companhia referente à publicidade caiu 11,2%, para US$ 191,2 milhões, em comparação a US$ 215,5 milhões. A publicidade impressa nos jornais da companhia, que incluem The New York Times, The Boston Globe e The International Herald Tribune, encolheu 13,3%. A receita da publicidade digital caiu 4%.

Em um persistente sinal positivo para a companhia, a receita da circulação aumentou 6,5% porque o New York Times intensificou suas iniciativas relativas à assinatura digital, e elevou os preços de sua edição impressa. O número de assinantes na internet, no e-reader e em outras edições digitais de The Times e The International Herald Tribune cresceu para 676 mil, um salto de quase 49% em relação ao mesmo trimestre no ano passado. As assinaturas digitais de The Boston Globe e do BostonGlobe.com cresceram mais de 50% em comparação ao mesmo período de 2012, para 32 mil assinantes.

“Os resultados referentes ao primeiro trimestre refletem as nossas persistentes medidas para a reformulação da The New York Times Company”, disse em um comunicado Mark Thompson, presidente e diretor executivo da companhia. “Apresentaremos ainda outras iniciativas estratégicas destinadas a impulsionar ainda mais a marca The Times e a redação com o objetivo de criar novos produtos e serviços destinados a uma variedade maior de clientes, nos EUA e no mundo todo.”

Projeto. Ao divulgar seu lucro líquido trimestral, a companhia revelou mais detalhes sobre uma estratégia de crescimento que começará a implementar no quarto trimestre deste ano e no início do próximo. Thompson disse que a empresa planeja oferecer tipos de assinaturas mais variados que permitirão aos leitores pagar menos pelo acesso aos “artigos mais importantes e interessantes do The Times” ou a conteúdo na área de política, artes ou alimentação.

Para os ávidos leitores do New York Times, será criada ainda uma assinatura especial que incluirá serviços, como o acesso a eventos no The Times. A companhia pretende ampliar ainda mais a gama de produtos e serviços da marca, como jogos e comércio eletrônico, e aumentar sua atividades no campo de eventos e conferências, de olho no aumento da receita.

(Tradução: Anna Capovilla)

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências: