As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Papéis da Microsoft são mais bem avaliados que títulos dos EUA

Quatro empresas dos EUA têm classificação melhor do que a do país

Carla Miranda

26 de julho de 2011 | 16h32

Muitos investidores e analistas acreditam que investir em algumas das grandes empresas americanas já é mais seguro do que em títulos emitidos pelo governo dos Estados Unidos, papéis estes que, até pouco tempo atrás, chagavam a ser descritos como investimentos de “risco zero”. A conclusão é de reportagem do “Financial Times”.

O jornal notou que o seguro que os investidores pagam contra calote dos EUA, no caso dos títulos com prazo de cinco anos, está mais alto do que o prêmio pago por empresas como Exxon, Microsoft, Johnson & Johnson e ADP.

O seguro pago pelos credores dos EUA e o prêmio dado pelas empresas aos investidores são indicativos da percepção do risco desses papéis. Investidores aceitam pagar mais caro pelo seguro quando estão mais desconfiados; e aceitam ganhar um prêmio menor das empresas quando confiam nelas.

Um indicador de que essas quatro companhias têm mais credibilidade do que os títulos dos EUA está na avaliação da agência de classificação de risco Standard & Poor’s, que colocou a nota dos papéis americanos para revisão, com possibilidade de rebaixamento. Já o status AAA (a nota mais alta dada a um papel) dessas empresas mantém-se em perspectiva negativa.

Os analistas ouvidos pelo “Financial Times” sobre o assunto divergem uns dos outros. “Muitas pessoas confiam em empresas mais do que em países”, afirmou um analista da DWS, um administrador de fundos alemão.

“Essas companhias são AAA porque não têm dívida alta demais. [Mas] Elas não são realmente uma alternativa aos títulos do Tesouro”, disse outro analista, da Thornburg Investment Management.

Leia a reportagem no site do “Financial Times” (em inglês)

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.