As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Para ‘FT’, Tombini destoa do governo e ao defender reforma horizontal

Journal conversou como presidente do Banco Central do Brasil

Carla Miranda

27 de julho de 2012 | 07h00

O presidente do Banco Central, Alexandre Tombini, conversou com o Financial Times antes de discursar sobre a queda da inadimplência e disse que ser a favor de medidas “horizontais” para a economia do País.

Isso significa que o governo, em vez de eleger setores específicos para serem beneficiados com cortes de impostos, políticas para a energia e investimentos em infraestrutura, deve traçar planos que atinjam toda a economia.

Pela forma como foi transcrita (“Nós vamos atuar horizontalmente”), a declaração dá a ideia de que Tombini se considera junto com o resto do governo nessa proposta.

Mas o Financial Times apresenta um ponto de vista diferente. O jornal acredita que Tombini esteja isolado nessa empreitada. “É difícil imaginar outras partes apoiando os mesmos argumentos com o mesmo entusiasmo”, diz o diário.

Mesmo assim, o FT se mostra relativamente otimista: “Foi particularmente interessante ouvir Tombini falar sobre a necessidade de melhorar a competitividade não apenas para sustentar o crescimento como também para ajudar o Brasil a disputar investimento estrangeiro direto com outros países, sejam eles emergentes ou desenvolvidos”.

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.