As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Pela 1ª vez desde a crise, empresas priorizam o futuro

Até o ano passado, prioridade era cortar gastos; agora, é aumentar receita

Carla Miranda

19 de janeiro de 2011 | 11h16

Pela primeira vez desde a crise financeira internacional, iniciada no final de 2008, as grandes empresas do mundo estão mais interessadas em planejar o futuro do que em cortar gastos para arrumar a casa, segundo uma pesquisa da Economist Intelligence Unit (EIU), instituto ligado à revista “The Economist”.

Das 288 companhias que responderam aos questionário, 55% disseram que neste ano vão priorizar aumento de receita, 52% afirmaram que vão elaborar planos de expansão e 50% declararam que pretendem reduzir custos. A soma dos percentuais supera 100% porque cada empresa podia escolher mais de uma prioridade.

Em 2009, ano seguinte à crise internacional, apenas 46% das companhias priorizavam a elaboração de planos de crescimento, enquanto 37% pensavam em aumentar receitas. Naquele ano, a prioridade de 66% das empresas era cortar gastos.

A pesquisa mostra uma inversão do pensamento das companhias, saindo de uma fase mais pessimista, em que o que importava era apagar o fogo e resolver problemas imediatos, e entrando em uma fase mais otimista, em que a prioridade é preparar-se para o futuro.

O estudo contou com a participação de 288 grandes empresas, sendo 44% da América do Norte, 40% da Europa Ocidental e 16% da América Latina; 75% delas têm faturamento anual acima de US$ 1 bilhão.

A EIU cobra pelo acesso ao estudo, que está no site da empresa (clique)

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.