As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Portugal quer se financiar via bancos privados, diz revista

Analista afirma que essa saída pode ser uma boa forma de emitir títulos na crise

Carla Miranda

09 de fevereiro de 2010 | 15h23

Em meio à perda de credibilidade quanto à sua capacidade de pagar dívidas, o governo de Portugal busca em um consórcio de bancos privados uma chance de emitir títulos e captar recursos, informa o site da revista norte-americana BusinessWeek.

A publicação afirma que dois banqueiros envolvidos no negócio confirmaram que o país quer emitir papéis de dez anos em euros. Alberto Soares, presidente do IGPC (Instituto de Gestão da Tesouraria e do Crédito Público, órgão do governo português), confirmou que existe um plano de emitir títulos, mas não deu detalhes.

As duas fontes ouvidas pela reportagem disseram que os bancos que participarão do negócio são: Barclays, Banco Espírito Santo, Crédit Agricole, Goldman Sachs e Société Générale.

“Espero que Portugal pague um prêmio, mas o país não tem fundos para isso. [O consórcio] pode ser uma boa forma para lançar novos títulos”, afirmou à BusinessWeek Giuseppe Maraffino, estrategista da UniCredit SpA em Milão.

Os papéis portugueses perderam credibilidade nos últimos dias porque investidores desconfiam que o país pode não ser capaz de pagar os compromissos. A dívida do país equivalia a 77% do PIB (Produto Interno Bruto) no ano passado; a Comissão Europeia prevê que essa proporção chegue a 91% em 2011.

Leia a reportagem no site da BusinessWeek (em inglês)

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.