As informações e opiniões formadas neste blog são de responsabilidade única do autor.

Facebook admite que ‘errou o alvo’ e promete mudar

Fundador da empresa disse que alterará sistema nas próximas semanas

Carla Miranda

24 de maio de 2010 | 10h25

mark_zuckerberg_unique_ae_30082009.jpg
Zuckerberg no hotel Unique, em São Paulo, em 2009 (foto: Antonio Ilena/AE)

O fundador da rede social online Facebook, Mark Zuckerberg, publicou nesta segunda-feira, 24, no jornal norte-americano The Washington Post, um artigo em que admite que a empresa “errou o alvo” na hora de promover mudanças relacionadas à privacidade dos usuários e disse que vai alterar novamente as configurações nas próximas semanas.

“O maior recado que nós ouvimos recentemente é que as pessoas querem facilitar o controle sobre as informações delas. Muitos de vocês consideram os nossos controles [de privacidade] complexos demais. Nossa intenção era dar a vocês várias formas de controle detalhado; mas isso pode não ter sido o que muitos de vocês queriam. Nós só erramos o alvo”, escreveu Zuckerberg no Washington Post.

Ele disse que ouviu a reação dos usuários e prometeu mudar: “Nas próximas semanas, acrescentaremos controles de privacidade que são muito mais simples de usar”.

O Facebook tem enfrentado críticas de especialistas em privacidade e dos próprios usuários após adotar medidas em que o usuário não consegue identificar facilmente o que pode acontecer com os dados publicados.

Muitos usuários também se mostraram descontentes. Na internet, há uma campanha conclamando as pessoas a boicotarem o site, apagando seus respectivos perfis (conjunto de dados pessoais ali registrados) no dia 31 de maio. Atualmente, o Facebook tem mais de 400 milhões de usuários cadastrados.

Leia o artigo de Zuckerberg no site do Washington Post (em inglês)

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.